Momento Lítero Cultural - Por Selmo Vasconcellos

SÍLVIO  Rodrigues PERSIVO  Cunha  – Porto Velho, RO. Nosso Poetamigo

Só  eu, eu  só

Em não olhar nos teus olhos
sei que da vida estou fora
o vazio no meu peito
só vê a passagem das horas
o tempo que vai embora
via a tristeza segura
do olhar que foi embora

Procuro pelo meu centro
nos versos, neste poema,
tudo, porém, é só cena
a vida não tem intento.

Só eu
sei que é muito tarde
que a raiz secou lá dentro
e a chama que ainda arde
será cinza em pouco tempo.
E só restará o pó.
Só eu, eu só.
*****
Soneto  do  Amor  Sereno

Se me quiseres amor como te quero..
...suave e leve que me faz tão contente
Só em guardar tua imagem que encaro
Como defesa contra o banal presente.

Tudo o que há de melhor e de mais raro
Vejo em teu corpo não mais adolescente
Que, nem em pensar, das roupas, separo
Preso no teu encanto tão perdidamente.

Não exijas nada que te dei o meu desejo
Maduro, profundo, delicado, enquanto
O resto é simples feito as grandes cenas.

Veja a grandeza que temos sem um beijo!
È um amor acima das coisas pequenas. Tanto
Que sobrevive das atenções serenas.
*****
LINK

Com seus imensos olhos infantis,
E um ar de doçura que sabia a mel,
Me pediu:
-Deixa eu colocar seu blog no meu blog?
Distraído permaneci fitando o baton vermelho provocante de seus lábios.
-E você coloca meu blog no seu...
Balancei a cabeça num consentimento mudo,
Embora meu pensamento estivesse longe de qualquer coisa virtual
E o nível da colocação me parecesse extremamente abstrato.
******
O  DESAMPARO  AZUL

Talvez, se tivesse forças, subisse as escadas....
Talvez a maré cheia venha me lavar...
Talvez o muro de pedras desmorone
E tudo não tenha mais nenhum significado.

Talvez este desalento,
Este desamparo
Seja só porque toda saudade é uma forma de velhice
Ou, talvez, não existisse,
Se estivesses do meu lado.
******
Coraçãozinho  ateu

Eu não sei não
Como foi que perdi
teu coração.
Ainda agora o tive
tão vivinho
na minha mão.

Não se pode nem dizer
Que não o tratei com carinho
Que não lhe dei ilusão.
Até dei umas pancadas nele
Tentando injetar adrenalina
pensando que tivesse salvação.

Ó coraçãozinho sem-vergonha!
Voou feito um passarinho
E nem cantou nem gemeu
Deve ser um coração ateu
nem acreditou
quando lhe disse
que era Deus!
*****
LEMBRANÇA

Há mensagens que nunca chegam
ao destinatário
(Como os pensamentos meus que rodeiam
a tua imagem e voz quase esquecidas)
Qual garrafa lançada ao mar
Que afunda num banco de areia.

Nosso destino, talvez,
Esteja suspenso assim
Numa mensagem que não chegou ao fim
Na notícia de longe que não veio.

E tu, que serias o farol, a luz,
O guia do ser e do prazer
Permanece como uma estrela do passado
Que não voltou a brilhar.

E nesta noite
Com esta lua linda
Tua lembrança me faz chorar.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E R Santos

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS