BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

FISCALIZAÇÃO: Vereadora Joelna Holder recebe demandas de professores municipais

No ano de 2018, o Tribunal de Contas encaminhou à prefeitura um Termo de Ajuste de Gestão (TAG), para que o ponto eletrônico fosse implantado na rede pública municipal da capital, inicialmente sendo implantado na área da saúde

ASSESSORIA

10 de Março de 2020 às 09:37

Foto: Divulgação

No dia 03 de março, a vereadora Joelna Holder esteve reunida com professores da Escola Antônio Ferreira da Silva, onde vários pontos foram ressaltados a respeito da adequação dos profissionais de educação a exigência do ponto eletrônico no Município de Porto Velho. 

 

No ano de 2018, o Tribunal de Contas encaminhou à prefeitura um Termo de Ajuste de Gestão (TAG), para que o ponto eletrônico fosse implantado na rede pública municipal da capital, inicialmente sendo implantado na área da saúde. A prefeitura de Porto Velho atendeu a demanda do Tribunal, e a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) executou o que foi exigido pela TAG. 

 

Entretanto, ao ser implantado nas escolas, os servidores estão encontrando dificuldades, em poderem cumprir seu horário de serviço da maneira como a secretaria estabeleceu. “Estamos acompanhando de perto essa questão e cobrando da secretaria, que reveja algumas situações, a fim de que esses profissionais não sejam prejudicados e possam executar o seu horário, cumpri-lo e bater o seu ponto” disse a vereadora. 

 

Em atenção aos servidores que ministram aula para a Educação de Jovens e Adultos (EJA), a vereadora ressaltou que “quando se fala da educação noturna, devemos observar se será cumprida a jornada de trabalho de servidor da educação, dado ao fato, de que após as 22:00 incorrerá o direito ao adicional noturno ”. 

 

É relevante ressaltar que a incidência de criminalidade após o horário de saída dos servidores é maior, o que pode acarretar em outros fatores que estão fora do controle da secretaria, e que podem acarretar num desequilíbrio social para a nossa cidade. “Mediante a todas essas questões, os professores solicitaram a nossa Comissão de Educação, que façamos o encaminhamento aos órgãos competentes, para que eles se sensibilizem e deem condições aos servidores de poder cumprir com seu horário sem ser penalizado”, concluiu a vereadora.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS