EXPLICAÇÃO: Homem que incendiou lanchonete perdeu família em acidente na BR-364

Batida próxima a Jaru matou sogro, esposa e três filhos (incluindo um bebê)

EXPLICAÇÃO: Homem que incendiou lanchonete perdeu família em acidente na BR-364

Foto: Divulgação

Ainda sem dar sua versão para o ato violento que cometeu esta semana, o homem que ateou fogo em uma lanchonete na região central de Vilhena foi vítima de uma tragédia registrada 10 anos atrás, num trecho da BR 364, próximo a Jaru, cidade da região central de Rondônia.
 
Ao noticiar o ataque que deixou um comerciante com queimaduras nas pernas, o FOLHA DO SUL ON LINE entrevistou a vítima, porém não conseguiu contato com o acusado, que tem parentesco com um policial e uma ex-vereadora.
 
Através de conhecidos do autor do atentado, a reportagem obteve detalhes do acidente trágico que matou a esposa e os três filhos dele. A dor da perda, no entanto, não minimiza os estragos provocados pelo ato do homem, mas talvez ajudem a explicar porque ele, que sempre foi considerado uma pessoa pacata, cometeu a brutalidade pela qual responderá na justiça.
 
Segundo apurou o site, a esposa e os três filhos do homem que praticou o incêndio criminoso esta semana em Vilhena viajavam com o sogro dele, que era caminhoneiro. Reportagens da época mostram que o motorista bateu de frente em outra carreta e chegou a ser socorrido com vida, mas morreu no hospital aquele fatídico dia 17 de outubro de 2012.
 
A esposa do homem que foi preso após o incêndio proposital viajava com o pai e foi jogada para fora da carreta, morrendo no local. Ela estava com as três crianças, que não foram localizadas imediatamente. Os peritos passaram a fazer buscas e na cabine da carreta foi encontrado um bebê. Os irmãos mais velhos estavam mortos próximos à carga de soja.
Direito ao esquecimento

Quem você apoiaria para ser senador por Rondônia?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS