BENEFÍCIO: Governo paga última parcela de R$ 100 do programa AmpaRO

Em 15 meses foram R$ 60 milhões distribuídos para 28 mil famílias

BENEFÍCIO: Governo paga última parcela de R$ 100 do programa AmpaRO

Foto: Divulgação

 

O Governo de Rondônia realizou nesta sexta-feira (17), por meio da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas), o pagamento da última parcela do Programa de Transferência de Renda (AmpaRO), criado em julho de 2020 com a proposta de reduzir os impactos da pandemia com a covid-19.
 
São cerca de 28 mil famílias ou aproximadamente 93 mil pessoas, em situação de vulnerabilidade social e financeira, com renda per capita mensal de até R$ 89, beneficiadas pelo programa, que durante 15 meses distribuiu R$ 60 milhões em parcelas.
 
Prorrogado pela terceira vez pelo Governo do Estado, em junho deste ano, devido à permanência da pandemia, o AmpaRO começou pagando R$ 200 mensais de julho a dezembro de 2020 e de janeiro a setembro foram nove parcelas de R$ 100 para cada família.
 
Além do Amparo, o Poder Executivo Estadual criou no período de pandemia, por meio da Seas, o programa “Previna-se” visando à distribuição de 248.110 máscaras de tecido para as famílias, em parceria com a Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater).
 
OUTRAS MEDIDAS
 
Em maio de 2021 foi iniciado o programa “Prato Fácil” com o fornecimento de refeições balanceadas e nutritivas ao preço de R$ 2, fornecidas das 11 horas às 15 horas, em cinco restaurantes privados de Porto Velho.
 
Em três meses de atendimento mais de 60 mil pessoas com cadastro no CadÚnico foram beneficiadas. O próximo passo será a expansão para mais cinco municípios: Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim, Ji-Paraná e Vilhena. O edital com as regras para credenciamento dos restaurantes deve ser lançado nos próximos dias.
 
Outra medida do Estado para mitigar os efeitos da pandemia nas famílias em situação de vulnerabilidade, foi a assinatura da ordem de serviço para reforma do Restaurante Popular Prato Cheio, na Zona Leste da Capital. Os trabalhos foram iniciados há uma semana e a previsão da empresa vencedora da licitação é que sejam concluídos até dezembro, dois meses antes do prazo estabelecido no contrato, que são seis meses.
 
O restaurante com capacidade para atender a 33 mil pessoas por mês teve as atividades suspensas em outubro de 2018.
Direito ao esquecimento

Quem é o favorito ao título do Brasileirão 2021?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública.

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS