Videogames: Microsoft pede ajuda para ampliar produção de Xbox

O chefão da divisão Xbox, Phil Spencer acabou reconhecendo o problema recentemente enquanto dava uma entrevista para Larry “Major Nelson” Hryb

Videogames: Microsoft pede ajuda para ampliar produção de Xbox

Foto: Divulgação

O sucesso de vendas da nova geração de Xbox, os Series S e X, vem sendo tão impressionante que a Microsof testá pedindo ajuda à AMD para conseguir aumentar a produção dos aparelhos. Os videogames chegaram ao mercado global em novembro do ano passado, e foram muito bem recepcionados pelos amantes gamers - desde então, as gigantes do varejo vêm sofrendo com a falta de estoque, já que os aparelhos esgotaram muito antes do que era previsto.

 

O chefão da divisão Xbox, Phil Spencer acabou reconhecendo o problema recentemente enquanto dava uma entrevista para Larry “Major Nelson” Hryb. “Eu estava no telefone com Lisa Su (CEO da AMD) na última semana, perguntando ‘Como podemos fazer mais? Como podemos fazer mais?’, então isso é algo que estamos constantemente trabalhando em cima”, disse Spencer.

 

Apesar dos Xbox Series S/X serem incríveis, é necessário um investimento considerável para ter uma máquina dessas em mãos - já nos melhores cassinos online, você pode conhecer as melhores plataformas de jogatina virtual gastando pouco e aproveitando vários bônus e promoções que aumentam suas chances de vitória. O executivo não deu mais detalhes sobre a conversa que teve com Lisa Su, nem como realmente irá conseguir suprir a demanda dos novos consoles: ‘Nós conseguimos lançar os consoles — eu gostaria que a gente tivesse mais deles, nós estamos vendendo rápido demais”, falou Spencer. Ele ainda aproveitou a entrevista para desmentir alguns rumores que especialistas do setor estão disseminando, que alegam que a Microsoft estaria limitando a produção dos aparelhos para aumentar o lucro sobre os produtos, através de uma criação artificial de demanda.

 

De acordo com Spencer, a empresa não está segurando a produção, na verdade eles estão operando em capacidade máxima - todas as linhas de produção que podem funcionar já estão em atividade. Ele também afirma que a incapacidade em repor os estoques na mesma velocidade em que eles são esvaziados, se deve às limitações de “física e engenharia”.

 

Sony sofre com mesmo problema

 

Há pouco tempo a maior concorrente da Microsoft no mercado dos videogames, a Sony, anunciou que vem tomando medidas para contornar a falta de estoque de unidades do PlayStation 5, aumentando sua capacidade de fabricar novos aparelhos. Em seu país de origem, Japão, a empresa acabou descontinuando a produção de várias versões do PlayStation 4 e PlayStation 4 Pro, para utilizar a linha de produção desses aparelhos para construir mais PlayStations 5.

 

Somente o PS4 Slim continuará sendo produzido pela companhia no Japão. Ainda não se sabe se a medida também será implementada em outras fábricas da Sony espalhadas nos outros países. Nas grandes lojas de varejo no Brasil, ambos consoles estão disponíveis para venda, contudo não constam para pronta entrega.

 

PS5 com cara de PS2 cancelado

 

No final de dezembro a internet foi ao delírio quando uma suposta edição do PS5com um visual bem semelhante ao PS2 foi anunciada pela empresa SUP3R5. Contudo, a empreitada acabou dando errado. A empresa disse que produziria cerca de 304 PS5 customizados e a pré-venda acabou em somente 20 minutos, mas alguns usuários acabaram sendo cobrados sem ter a confirmação da sua compra. A empresa acabou garantindo que reembolsaria os valores cobrados erroneamente, contudo, pouco tempo depois, eles passaram a receber “ameaças reais”. Então resolveram cancelar todos os pedidos feitos na pré-venda e devolver os valores cobrados, deletando sua conta do Twitter logo depois. A empresa ainda disse em comunicado que eles levaram as ameaças a sério, e caso seja “seguro tentar novamente”, eles tentarão lançar o PS5 personalizado mais uma vez.

 

Antes mesmo de chegar às mãos dos compradores, alguns desses consoles já apareciam em sites de revenda, com preços que beiravam os milhares de dólares. Como somente 304 unidades seriam vendidas inicialmente, eles seriam considerados um aparelho raro, o que pode justificar o valor abusivo que alguns revendedores estavam cobrando.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS