BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

VAZOU: Governador Marcos Rocha acusa Hildon por colapso da Saúde em Porto Velho

Governador diz que é um absurdo o Estado ter que fazer a distribuição de medicamentos contra a Covid-19 para a população da capital

Rondoniaovivo

03 de Julho de 2020 às 12:34

Atualizada em : 04 de Julho de 2020 às 11:28

Foto: Divulgação

Um áudio que está circulando nas redes sociais, atribuído ao governador Marcos Rocha, comprova que a relação entre a Prefeitura de Porto Velho e o Governo do Estado está totalmente abalada nesses tempos de pandemia, como ambos se acusando mutuamente.

 

Na semana passada, o prefeito Hildon Chaves, havia entrado com uma liminar na Justiça, exigindo apoio do Estado para que fosse feito um lockdown no comércio da capital, liberando apenas os estabelecimentos considerados de atividades essenciais.

 

O motivo alegado para tal medida é o aumento nos casos de Covid-19 na cidade, que está deixando em colapso o sistema de saúde de Porto Velho. Em uma audiência, ocorrida na última segunda-feira (29), entre as partes e outros setores da sociedade, foi decidido que a capital voltaria à fase 1, do decreto de calamidade pública do Governo do Estado.

 

Essa decisão, contrariou o prefeito de Porto Velho que culpa a falta de apoio de Marcos Rocha para que a situação na cidade tenha chegado a tal ponto com mais de 13 mil casos confirmados de Covid-19 e 366 mortos, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

 

A falta de sintonia entre Estado e Prefeitura para combater a doença, com os gestores se acusando ganhou mais um capítulo. Dessa vez, o governador Marcos Rocha, divulgou um áudio em que acusa a prefeitura de não está fazendo a parte dela para combater a doença.

 

“É um absurdo o estado tendo que fazer drivethru para distribuir medicamentos que deveriam estar sendo oferecidos pela Prefeitura de Porto Velho. Eu tenho certeza que se tivesse entregado medicamentos logo no início, nós não teríamos que construir tantas UTIs, que são equipamentos caros. Até quando o Estado vai conseguir construir UTI’s?”, desabafou.

 

“Eu peço a Deus que a Prefeitura de Porto Velho possa abrir os olhos e oferecer os medicamentos e dar a atenção básica necessária, como temos em vários municípios e salvar vidas. Não tenho nada contra ninguém, mas é uma necessidade da população nesse momento de pandemia”, declarou.

 

 

Ouça o áudio

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS