BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Presidente da ALE afirma que não há o que comemorar no Dia do Índio

Governo precisa urgente mudar a forma de atender aos indígenas, diz deputado Hermínio Coelho

Da Redação

18 de Abril de 2013 às 14:25

Foto: Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Hermínio Coelho (PSD), disse que o dia 19 de abril, Dia do Índio, deve servir para uma profunda reflexão sobre o tratamento que as autoridades têm dado aos indígenas brasileiros, porque não há muito o que comemorar. O parlamentar lembrou que os protestos são constantes, devido ao descaso e também à insistência em construir hidrelétricas em terras indígenas, o que deverá causar sérios problemas.
Hermínio lembrou que a construção das hidrelétricas no rio Madeira causou grandes impactos ambientais e sociais em Porto Velho e nos distritos. Segundo ele, os índios, que dependem da preservação do meio ambiente para a sobrevivência, enfrentam problemas ainda maiores, principalmente devido à forma como são tratados por muitos políticos.
“Vejam o que está acontecendo no Pará, onde o governo federal decidiu construir hidrelétricas em terras indígenas. A Constituição diz que os índios devem ser ouvidos, mas não diz que a decisão deles deve ser respeitada. Com base no que aconteceu em Porto Velho, digo que os indígenas serão ouvidos, dirão que não querem as usinas, mas as hidrelétricas serão construídas mesmo assim”, disse Hermínio Coelho.
Em Rondônia, Hermínio Coelho explicou que os indígenas recebem pouca assistência da Funai e chegam a ser ameaçados de morte por pessoas que retiram madeira ilegalmente das reservas. A Funai tem núcleos somente em Guajará-Mirim, Ji-Paraná e Cacoal, mantendo em Porto Velho um sub-núcleo, onde é possível receber atendimento na área de saúde.
De acordo com o parlamentar, o governo federal precisa mudar com urgência a forma como trata os indígenas, para evitar sérios problemas no futuro. “É preciso respeitar a cultura, a forma de vida dos índios. Como ocupamos a maior parte da terra que antes era deles, a área que foi destinada aos indígenas deve merecer maior atenção, evitando invasões, principalmente”, afirmou.
A Assembleia Legislativa divulgou a seguinte nota oficial, assinada pelo deputado Hermínio Coelho:
Nota Oficial sobre o Dia do Índio
Hoje, 19 de abril, é o Dia do Índio. Não podemos dizer que nesta data é comemorado o Dia do Índio, porque hoje praticamente não há razão para comemorar nada. A Funai, órgão federal que deveria atender os indígenas, está encolhendo a cada ano. O escritório em Porto Velho foi desativado há algum tempo, sendo mantida somente uma unidade para atendimento médico.
As únicas cidades de Rondônia onde há núcleo da Funai são Guajará-Mirim, Ji-Paraná e Cacoal, região onde acontecem constantes conflitos entre brancos e indígenas. Hoje mesmo há índios ameaçados de morte por pessoas que retiram ilegalmente madeira de áreas de reserva. Um constrangimento internacional para o Estado.

 Toda essa terra era dos índios anteriormente. Agora eles são poucos e estão confinados a poucas áreas, em geral localizadas na Amazônia. A forma de tratar os indígenas deve ser modificada com urgência, para preservação da cultura e da forma de vida dos diversos povos que vivem em reservas.

 A construção de hidrelétricas em terras indígenas também precisa ser repensada com urgência, devido ao impacto ambiental e social que tem sido causado. Se o tratamento dado aos indígenas não mudar haverá sérios problemas no futuro.

 Deputado Hermínio Coelho (PSD)

 Presidente da Assembleia Legislativa

VEJA VÍDEO DEPOIMENTO DE KAXARARI SOBRE DIA DO ÍNDIO

--

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS