BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

TRT estuda instalação de posto avançado da Justiça do Trabalho na cidade modelo próximo à usina de Jirau

Geração de mais de 40 mil empregos diretos e indiretos justificaria empreendimento

Da Redação

26 de Fevereiro de 2010 às 11:47

Foto: Divulgação

A possibilidade de instalação de um posto avançado da Justiça do Trabalho na região conhecida por Nova-Mutum motivou a visita de uma comitiva do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (Rondônia e Acre) ao canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Jirau e no Pólo Industrial de Porto Velho, na quarta-feira última (24).
 
A comitiva, composta pela presidente do TRT, desembargadora Maria Cesarineide Lima, e a vice-presidente, desembargadora Vania Maria da Rocha Abensur, o diretor- geral de Coordenação Judiciária, Marcos Antônio Martins, o chefe da Seção de Engenharia, Luiz Gonzaga, além do diretor Institucional da Energia Sustentável do Brasil, José Lúcio de Arruda, representante do consórcio formado pelas empresas GDF Suez, Camargo Corrêa, Eletrosul e Chesf, visitou também a quadra institucional do Pólo Indusxtrial.
 
Ainda em Porto Velho, no escritório do Consórcio, José Lúcio apresentou aos integrantes da comitiva a atual situação do canteiro de obras, com suas escavações e vertedouros, e também do pólo industrial que está em ritmo acelerado de crescimento. No local, estão sendo construídas 1.600 casas com sistema de coleta, tratamento de esgoto, abastecimento de água, saneamento básico e rede elétrica de energia limpa. A previsão é de um investimento de cerca de 10 bilhões de reais na construção da nova cidade.
 
No pólo industrial, a comitiva visitou a área destinada à instalação dos órgãos públicos, principalmente o setor chamado de “Quadra da Justiça”, onde serão construídas unidades das Justiças do Trabalho, Eleitoral, Comum e Ministério Público.
 
A comitiva pôde conhecer, ainda, o sistema de fabricação das casas pré-moldadas e algumas unidades já instaladas. Já no canteiro de obras, a comitiva almoçou no mesmo refeitório onde os trabalhadores convivem, e ao final, participaram de um passeio pelas obras da Usina, onde trabalham 700 máquinas/equipamentos e 4 mil operários, por turno.
 
Com o pico das obras, a previsão é que sozinho o empreendimento passe a gerar mais de 40 mil empregos diretos e indiretos. “Aqui está se criando uma cidade, dentro dela é importante a presença da Justiça do Trabalho”, afirmou a desembaragadora-presidente, Maria Cesarineide, ao ressaltar que a Justiça do Trabalho está sempre atenta e acompanhando todos os investimentos que resultam na expansão sócio-econômica da região.
 
A desembargadora disse, ainda, que esse crescimento social e econômico faz expandir a área de atendimento da Tribunal, onde ainda não há Varas do Trabalho instaladas. “Já atendemos 68 cidades no Acre e em Rondônia, através da Justiça Itinerante, onde o nosso principal objetivo é sempre ser uma ponte para levar harmonia entre o trabalho e o capital, porque a sociedade precisa de ambos”, frisou Maria Cesarineide.
 
A vice-presidente, Vania Maria, explicou que o TRT não só acompanha atentamente o empreendimento desde o início, como também vem elegendo ações estratégicas para atender essa demanda futura. “Certamente haverá um reflexo para a Justiça do Trabalho”. Segundo ainda a desembargadora, atualmente não há como se administrar se não houver um planejamento estratégico e o Regional já vem trabalhando nessa direção, antevendo situações, como a criação de novas Varas Trabalho, já prevendo o aumento das reclamações.
 
Arruda endossou a importância do funcionamento funcionamento de postos avançados dos poderes instituídos da justiça, principalmente a do Trabalho, no cidade-pólo industrial para oferecerem os seus serviços, onde dezenas de indústrias de grande porte vão trazer milhares de trabalhadores para a região, que será uma área de grande produção, muito trabalho e emprego.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS