ESPAÇO ABERTO: Criação de Parque pode comprometer comunidade no Sul do Estado de Rondônia

ESPAÇO ABERTO: Criação de Parque pode comprometer comunidade no Sul do Estado de Rondônia

Foto: Divulgação

ALTERAÇÃO
 
Deputado Dr. Neidson (PMN) diz que é preciso discutir com urgência a situação dos moradores do distrito de Rolim de Moura do Guaporé, mais conhecida como, Porto Rolim, em Alta Floresta, com relação à criação do Parque Estadual Ilha das Flores.
 
ALTERAÇÃO 2
 
De acordo com o deputado, lideranças da localidade querem ajuda para que a região seja retirada dos, aproximadamente, 7% de área do Parque Ilha das Flores, aprovado recentemente. 
 
MORADORES
 
Dr. Neidson diz que esteve na reserva e comprovou que várias localidades chamadas de baixões, onde informaram não haver moradores nem pastagens, tem gente trabalhando e sobrevivendo da terra.
 
COMÉRCIO
 
O deputado enfatiza que foi até os locais afetados com a criação da Ilha das Flores e constatou com donos de várias pousadas, que o turismo da região será prejudicado. Cerca de 15 mil turistas estariam frequentando as propriedades anualmente.
 
PREJUÍZOS
 
A criação da reserva afetará a economia que será diretamente reduzida. Um exemplo é o fim da pesca esportiva. Isso tira o emprego de várias pessoas como os piloteiros de embarcações, guias turísticos, entre tantos outros", argumenta Neidson.
 
MEDIDA
 
Segundo o deputado, um acordo firmado entre parlamentares e moradores de Porto Rolim prevê a criação de um Projeto de Lei que diminui os 7% de área previstos com a criação da Ilha das Flores, evitando assim que a localidade não perca seu potencial turístico, e que os moradores não percam suas terras, ocupadas há décadas.
 
PROTEÇÃO
 
A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2019, mostrou que em Rondônia 78,5% dos rondonienses utilizaram cinto de segurança quando dirigiram ou eram passageiros no banco da frente. 
 
MAIS CUIDADOSAS
 
A taxa entre as mulheres é maior que entre os homens: 81,9% delas declararam usar o equipamento e, entre eles, o índice foi 74,8%. 
 
EXPERIÊNCIA
 
Em relação à idade, 90% das pessoas com mais de 60 anos informaram utilizar o cinto de segurança, enquanto 68% das pessoas com idades entre 18 e 29 anos se preveniram com o dispositivo.
 
POUCO CUIDADO
 
Quando é sobre utilização do cinto de segurança no banco de trás do veículo, a média rondoniense cai para 62,9%. Neste caso, a taxa feminina é um pouco menor que a masculina: 62,2% e 63,8% respectivamente.
 
MOTOS
 
Já em relação ao uso de capacete, 90% dos rondonienses disseram que sempre usam o equipamento quando pilotam motocicleta. Observou-se que o índice aumenta conforme aumenta o nível de instrução.
 
MAIS INFORMADOS
 
Entre as pessoas sem instrução ou com ensino fundamental, a taxa foi de 86%, sendo elevada para 97,3% entre as pessoas com ensino superior. Em Porto Velho, a taxa de uso de capacete foi 98,4%.
 
VIOLÊNCIA
 
A pesquisa revelou também que Rondônia apresentou o quarto menor índice entre as unidades federativas de violência física, psicológica ou sexual. Dos rondonienses com mais de 18 anos, 15,5% disseram que tinham sofrido algum tipo de violência nos 12 meses anteriores à entrevista. Acre (12,4%), Santa Catarina (13,3%) e Mato Grosso (14,8%) apresentam as menores taxas.
 
MENTAL
 
O tipo de agressão mais comum entre os rondonienses nos 12 meses anteriores à entrevista foi a violência psicológica, atingindo 14,5% das pessoas com mais de 18 anos. 
 
SEXO
 
Já em relação à violência sexual, 6,2% dos rondonienses com mais de 18 anos foram vítimas alguma vez na vida. A proporção entre o gênero feminino é bem maior que entre o masculino: enquanto 9,9% das mulheres declararam ter sofrido este tipo de violência, 2,3% deles sofreram este tipo de agressão.
 
FOLCLÓRICO
 
O ex-deputado federal por Rondônia, Lindomar Garçom, leva ao pé da letra a frase de que quem não é visto não é lembrado. Em 2017, o então parlamentar rondoniense ficou quase dez horas em pé assistindo votação do impeachment da ex-presidente Dilma Roussef.
 
PONTE
 
Lindomar Garçom reapareceu. O ex-deputado federal, que ficou conhecido como papagaio de pirata no impeachment de Dilma, foi até o distrito de Abunã acompanhar a inauguração da ponte sobre o Rio Madeira e, é claro, tentar ficar bem próximo do presidente Jair Bolsonaro.
 
VIAGEM NÃO FOI PERDIDA
 
Dessa vez não deu para Garçom ficar na mira dos holofotes. Mas pelo menos ele conseguiu fazer barulho junto aos seus admiradores. Em redes sociais, um grupo de simpatizantes de Garçom comemorou à presença dele na inauguração da ponte.
 
OPORTUNIDADE
 
O Serviço Social da Indústria de Rondônia (SESI-RO) está com inscrições abertas para o preenchimento de 143 vagas ofertadas gratuitamente para o Ensino Fundamental e o Novo Ensino Médio nas escolas SESI de Porto Velho, Cacoal e Vilhena. As inscrições podem ser feitas de forma online no Portal do SESI.
 
CRITÉRIOS
 
O aluno deve estar na faixa etária condizente com a série, ser oriundo de escola pública e o responsável deve redigir um documento comprovando baixa renda. Outro ponto analisado é o rendimento escolar do estudante e cada escola fará essa triagem.
 
**Este texto não reflete a opinião do Rondoniaovivo, e sim a do autor
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS