Livros mostram ângulos diversos sobre o que comemoramos como Independência

"O desafio é conhecer essa parte fundamental da nossa história sob diferentes perspectivas" Livros mostram ângulos diversos sobre o que comemoramos como Independência

Livros mostram ângulos diversos sobre o que comemoramos como Independência

Foto: Divulgação

No mês em que se comemora o bicentenário da Independência do Brasil, a distribuidora de livros Disal selecionou títulos para abordar diferentes ângulos sobre a data em que se comemora essa data. Então indicou aos leitores uma viagem pelo bicentenário, nessa seleção especial, que vai de história em quadrinho à mistura de magia, ciência, religião e intrigas.

O desafio, segundo a Disal, é conhecer essa parte fundamental da nossa história sob diferentes perspectivas.

 

Independência – A história não contada – Paulo Rezzutti

 

Paulo Rezzutti já narrou, em dois de seus premiados best-sellers, a história não contada de D. Pedro I e D. Leopoldina, reapresentando aos leitores o casal imperial brasileiro como personagens complexas e humanas. Entre dramas pessoais, escândalos amorosos e reviravoltas políticas, os livros trouxeram à tona, a partir de cartas e documentos inéditos, detalhes cristalinos sobre a Independência do Brasil – proclamada por D. Pedro, mas um processo no qual D. Leopoldina teve participação crucial.Agora, a Independência deixa de ser um evento dentro das biografias das personagens – para se tornar protagonista numa história diferente de tudo o que você já leu.

Saiba mais: https://cutt.ly/ICl3t31

 

História do Brasil – Em quadrinhos – Jota Rossato

 

Toda a história é contada pelo professor Daguerre a três crianças que se desgarram da excursão escolar no Museu do Ipiranga, em São Paulo: Marcelo, Catarina e Gustavo. A pressão sofrida por Portugal para aliar-se a Napoleão, a chegada ao Brasil, a elevação da antiga colônia a Reino Unido, a Inconfidência Mineira, o Dia do Fico e o grito do Ipiranga, tudo passa pela prosa do professor, num encontro que vai mudar a visão daquelas crianças a respeito dos estudos e até mesmo do lugar onde se encontram.

Saiba mais: https://cutt.ly/tCl3Tdv

 

A outra independência – Evaldo Cabral de Mello

 

Publicado originalmente em 2004, o livro aborda o processo da Independência a partir de Pernambuco, que se destacou pela resistência contra o centralismo da corte do Rio de Janeiro e seu projeto de unificação do país. Em busca de autonomia, a província abrigou uma intensa movimentação política entre 1817 e 1824, com a revolta pernambucana e a Confederação do Equador como momentos mais marcantes. O prefácio é assinado por Heloisa M. Starling.

Saiba mais: https://cutt.ly/jCl31yH

 

O livro obscuro do descobrimento do Brasil – Marcos Costa

 

 Como magia, ciência, religião, intrigas e lutas pelo poder fizeram parte do projeto de conquista do Brasil. Prepare-se para embarcar numa viagem surpreendente. A rota inclui mudanças vertiginosas que influenciaram a humanidade para sempre, além de fatos, tramas e personagens sombrios que protagonizaram histórias ignoradas pelos relatos oficiais. Destino final? O Brasil, claro, um país que nasce no meio do caminho de uma avalanche que varreu o mundo entre meados do século XV e início do século XVI. É nessa a jornada que o leitor embarca n’O livro obscuro do descobrimento do Brasil, do historiador e professor Marcos Costa, o mesmo autor de A História do Brasil para quem tem pressa. O caminho está repleto de magia e ciência, enigmas e conspirações, mistério e religião, intrigas e lutas pelo poder – e tudo isso fez parte do projeto de conquista do Brasil.

Saiba mais: https://cutt.ly/bCl5Bqc

 

Considerações de especialista em história

 

A independência do Brasil aconteceu em 1822 e teve como grande marco o grito simbólico dado por Pedro de Alcântara (D. Pedro I), às margens do Rio Ipiranga, no dia 7 de setembro. De acordo com o autor dos livros “O Agente do Imperador e o Dedo da Morte” e “O Agente do Imperador Contra a Conspiração Escarlate”, Edson Miranda, “estudar a história do Brasil é imprescindível, precisamos compreender o que somos hoje como nação e qual é o papel deste gigante, que não está mais adormecido em berço esplêndido”, diz.

 

Entre os fatores que impulsionaram a independência, podem ser destacados o desenvolvimento comercial e econômico que aconteceu logo que a família real chegou ao país. “Podemos constatar que o território brasileiro manteve-se coeso pelo idioma e pela diligência de seus dois imperadores. Nestes 200 anos, o Brasil, com suas dimensões continentais, passou a ser grande produtor de alimentos e matérias-primas que abastecem o planeta e, ao mesmo tempo, protegem o meio ambiente, iniciando os passos para o próximo centenário, em busca de sua consolidação como potência econômica e social”, conclui Miranda.

Saiba mais: https://cutt.ly/2CzczId

 

Fonte: Festar Muito

Direito ao esquecimento

Você já decidiu em quem votar para deputado(a) estadual, federal, senador(a) e presidente?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Tormen e Moraes LTDA

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS