NESTA SEXTA: A relação do rio e a dança é tema do terceiro dia do Festival Águas que me Tocam

O festival é exibido todas às sextas-feiras, a partir das 20h, do horário de Rondônia, pelo YouTube: https://www.youtube.com/juracijunior

NESTA SEXTA: A relação do rio e a dança é tema do terceiro dia do Festival Águas que me Tocam

Foto: Divulgação

“O Rio que se Move em Mim” é tema do terceiro dia do festival multiartístico Águas que me Tocam, que recebe a bailarina Edcléia Jucá e o diretor e dramaturgo Fabiano Barros para um bate-papo sobre como o rio atravessa a vida e obras produzidas pelos convidados. Idealizado e apresentado por Juraci Júnior, o festival é exibido todas às sextas-feiras, a partir das 20h do horário de Rondônia, pelo YouTube: https://www.youtube.com/juracijunior.

 

O episódio conta, ainda, com a exibição da vídeo-performance-dança “O Rio que se Move em Mim”, um experimento da bailarina Edcléia criado especialmente para o festival e que é resultado da pesquisa da bailarina sobre os corpos dançantes amazônicos. Na entrevista, ela detalha suas criações a partir de suas observações e vivências num encontro da arte de movimento dos corpos e dos movimentos dos rios.

 

 

O público também confere a exibição do espetáculo de dança contemporânea “D´água e Lama”, dirigido por Fabiano e coreografado por Gilca Lobo, nascido através de uma pesquisa fotográfica em comunidades à beira do Rio Madeira, em Rondônia, e transportada para a linguagem da dança.

 

O festival “Águas que me Tocam” de artes integradas é mais um produto cultural regional da Casa do Rio Filmes, contemplado pelo Edital nº 32/2021/SEJUCEL-CODEC - 2ª Edição Pacaás Novos - Prêmio para Difusão de Festivais Mostras e Feiras Artísticos-Culturais. lei 14.017/2020 Lei Aldir Blanc. Contempla obras em diversas linguagens artísticas, utilizando como pano de fundo a relação das pessoas, das artes e da cidade com o rio. No total, serão cinco episódios, com exibição sempre às sextas-feiras.

 

 

O primeiro episódio foi ao ar no dia 13 de maio e apresentou ao público um show musical do compositor e intérprete Bado, com um repertório emocionante, composto por músicas que têm as águas como inspiração. O segundo episódio exibiu os curta-metragens Quimera e Sinfonia para Teotônio, obras audiovisuais que revelam um rio de memórias, histórias e amores, tendo como convidados o dramaturgo e diretor Tarcísio Lara Puiati e Joesér Alvarez, do Coletivo Madeirista.

 

“É uma grande alegria reunir, no mesmo palco, artistas que mantêm uma relação de muito respeito com as águas da floresta. A vivência de cada um possibilitou a criação de várias obras artísticas, sobre nós mesmos, e ver tudo integrado ao nosso festival é uma oportunidade de acompanharmos um pouco da trajetória dos nossos artistas na cidade”, avalia Juraci Júnior.

 

 

Confira os episódios que já rolaram e acompanhe a programação dos próximos:

 

“O Rio e a Música”: https://youtu.be/ch1qr_z0mao

 

“O Rio e as Memórias”: https://youtu.be/bNQ9L023S5E

 

27/05

 

“O Rio que se Move em Mim”: corpos dançantes se manifestam, mostrando como as águas atravessam a trajetória dos nossos artistas. Exibição de “O Rio que se Move em Mim”, de Edcleia Jucá, e do espetáculo de dança contemporânea “D´água e Lama”, dirigido por Fabiano Barros e coreografado por Gilca Lobo.

 

03/06

 

“O Rio que me Sustenta”: lançamento do documentário “Águas que me Tocam”, (direção de Juraci Júnior), criado para o festival, e que traz vozes de homens e mulheres amazônidas, que mantém uma relação muito próxima com os rios, e bate-papo com Clarinda Ramos, indígena sataré-mawé mestra em Antropologia Social, e Gustavo Gurgel do Amaral, doutor em geografia dos Sabores.

 

10/06

 

“O Rio e a Palavra”: apresentação do espetáculo “Mormaço/Estiagem”, de Elizeu Braga (RO), poeta, que desponta como um dos principais nomes da literatura nacional

Contemporânea.

 

Acompanhe também a programação em:

 

https://www.instagram.com/juracijunior/  

https://facebook.com/juracijunior/

 

Direito ao esquecimento

O senador Marcos Rogério defendeu o pastor Milton Ribeiro, preso pela Polícia Federal. Qual a sua opinião?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS