PANDEMIA: Sem trabalho, artistas de RO se reúnem com governador para reivindicar apoio

Liderados pelo cantor sertanejo Márcio Santtóro, eles apresentaram as reivindicações durante reunião como chefe do Executivo estadual; a deputada federal Jaqueline Cassol está apoiando o movimento.

PANDEMIA: Sem trabalho, artistas de RO se reúnem com governador para reivindicar apoio

Foto: Assessoria do Movimento

Os artistas de Rondônia, um das classes mais prejudicadas com a pandemia do coronavírus, deve ser beneficiada com uma linha de crédito do Proamp, do Governo do Estado, com juros diferenciados. Pelo menos é o que está sendo estudado pela equipe do Governo.

 

O assunto esteve em pauta semana passada durante reunião entre as lideranças do movimento “Todos pela Cultura” e o governador Marcos Rocha.  Os líderes do movimento são Márcio Santtóro, cantor sertanejo de Alta Floresta, Verônica Ramalho e Francisco Junior.

 

 Os artistas se reuniram com o governador após manifestação pacífica feita em frente ao CPA com o intuito de sensibilizar as autoridades para a situação em que se encontra essa classe – muitos deles passando necessidade.

 

“Estávamos querendo a liberação dos shows, mas tudo feito dentro das normas de segurança, porém o governador, junto com a sua equipe, nos mostrou a situação em que o estado se encontra por conta do coronavírus, e entendemos que esse não é o momento ideal para fazermos essa reivindicação”, declarou o cantor.

 

A solução encontrada no momento para sanar parte do problema foi a linha de crédito.

 

O movimento reivindicatório conta com o apoio da deputada federal por Rondônia Jaqueline Cassol e do deputado estadual Ismael Crispim.

 

Sem acesso à informação

 

No encontro, os artistas relataram ainda a dificuldade de ter acesso às informações em relação aos editais da Lei Aldir Blanc de apoio à cultura do Governo do Estado, que ficam restritas praticamente à capital.

 

 

Para eles, é preciso criar mecanismos de divulgação para que os artistas do interior tomem conhecimento das atividades desenvolvidas pelo Governo na área da cultura. “Muitos trabalhadores do segmento cultural ficaram de fora do edital por terem ficado sabendo em cima da hora; outros tomaram conhecimento depois da data prevista”, afirmaram.

 

Projetos

 

Outro ponto que esteve em pauta são as exigências que constam na Lei Aldir Blanc para participação nos editais. De acordo com os representantes dos artistas, é preciso elaborar o projeto, tarefa que a maioria não sabe fazer. Dessa forma, a pessoa tem que pagar alguém para elaborar o plano, assim como a prestação de contas, que é cheia de detalhes técnicos. “Se eles não têm dinheiro, como vão arcar com essas despesas”, indagou Márcio Santtóro.

 

Fundo de Cultura - recursos

 

Os artistas lembraram ao governador que pelo menos R$ 12 milhões provenientes da Lei Aldir Blanc tão parados no Fundo Estadual de Cultura. Esse recurso não está sendo usado pelo Governo e nem pode ser devolvido para o Governo Federal.

 

Para tanto, eles estão tratando com Jaqueline Cassol para que a parlamentar rondoniense negocie em Brasília a liberação de parte desse dinheiro (Um milhão de reais) para ajudar emergencialmente à classe artística rondoniense.

 

Auxílio Energencial

 

“Ninguém previa que a pandemia iria perdurar por tanto tempo e os artistas continuam sem trabalhar, sem conseguir pagar as conta, sem ter o que comer. Todos têm família, é preciso fazer algo para ajudar”, disse o cantor.

 

Vale ressaltar que os artistas que foram beneficiados com o auxilio emergencial (Aquele recurso em boa parte da população brasileira recebeu a parcela de R$ 600) não puderam ser contemplados com o auxílio cultural da Lei Aldir Blanc.

 

OBS: As fotos foram cedidas pela assessoria do Movimento

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

R E Eletrodiesel

R E Eletrodiesel

R E Eletrodiesel

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS