BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

SOLIDARIEDADE: Faculdade Católica incentiva doação ao Povo Indígena Karitiana

As doações são coletivas via boleto bancário ou cartão de crédito

RONDONIAOVIVO

12 de Maio de 2020 às 17:24

Atualizada em : 12 de Maio de 2020 às 17:25

Foto: Divulgação

 

Com o isolamento social cada vez mais crescente, muitas dificuldades estão surgindo e atingindo muitas comunidades, entre elas, o povo indígena Karitiana, distante 100 km de Porto Velho (RO). 

Para reduzir os impactos à cultura indígena, a Faculdade Católica de Rondônia (FCR), lançou a campanha “Ajude o Povo Karitiana”. As doações podem ser feitas via Catarse (plataforma de financiamento coletivo).
 
Para o reitor da FCR, Prof. Dr. Fabio Rychecki Hecktheuer, o momento é de união de todos. “Devemos dar as mãos e sermos os cidadãos do futuro, hoje. Afinal, a nossa história está ameaçada. Vamos juntos coletar as doações para fazermos a aquisição de 131 cestas básicas (uma por família), ou seja, R$ 9.000”, disse. 
 
Em vídeo, o presidente Associação do Povo Indígena Karitiana Akot Pytim Adnipa (APK), Cledson Pitana Karitiana, informou que o seu povo está precisando de alimento e fez um apelo. “Estamos vivendo em situação de vulnerabilidade social em nossas aldeias, por isso estamos pedindo a todos vocês esse apoio”, relatou.
 
O povo Karitiana é composto por seis aldeias, sendo: Aldeia Central, Aldeia Bom Samaritano, Aldeia Juari, Aldeia Caracol, Aldeia Byyjty Osop Aky e Aldeia Beijarana.
 
COMO FUNCIONA?
 
As doações são coletivas via boleto bancário ou cartão de crédito via Catarse. Os recursos arrecadados vão direto do Catarse pra conta bancária da campanha, sem intermediários. Ao final da campanha a FCR recebe tudo o que tiver captado (descontando 6,5% de taxa do Catarse +  4% de imposto, o ITCMD). Com o dinheiro, a Faculdade Católica fará a compra das doações e entregará aos Karitiana. 
 
PARCEIROS 
 
A iniciativa conta com o apoio do Centro Acadêmico Dom Moacyr Grechi (CADOM), Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e Associação Atlética Acadêmica Edson Antônio Sousa Pinto (Atlética Soberana). 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS