APÓS ATAQUE: Conversa amistosa entre Roberto Jefferson e policial causa revolta na web

Internautas afirmam que 'se não fosse bolsonaristas já estava morto'

APÓS ATAQUE: Conversa amistosa entre Roberto Jefferson e policial causa revolta na web

Foto: Divulgação

 

Um vídeo que circula entre policiais federais que viralizou no Twitter mostra uma conversa amistosa entre o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e um policial federal que negociava a rendição dele na tarde deste domingo (23), depois de o ex-parlamentar ter atirado contra policiais federais que tentavam cumprir uma ordem de prisão contra ele. Dois agentes ficaram feridos.
 
Mais cedo, ao comentar a prisão de Jefferson, o presidente Jair Bolsonaro (PL) havia dito que “o tratamento dispensado a quem atira em policial é bandido”. No entanto, o vídeo mostra o policial sendo cordial com o ex-deputado —ele chega a dizer: “O que o senhor precisar a gente vai fazer”.
 
 
 
 
 
Na gravação, é possível ver que a conversa entre Jefferson e o policial, que não teve sua identidade confirmada pela reportagem, é acompanhada por Padre Kelmon (PTB), candidato derrotado à Presidência.
 
Inicialmente, o ex-deputado afirma que não atirou nos policiais —mas revidou. “Eu quero lhe dizer uma coisa. Não atirei neles. Eles sabem disso. Eu cheguei e eles estavam embaixo, e eu com fuzil, com a arma.”
 
O policial responde que “os meninos estão bem”, numa possível referência aos agentes feridos, que foram socorridos e passam bem, segundo nota divulgada mais cedo pela PF.
 
O agente que negocia com o ex-parlamentar diz que os colegas que foram cumprir a ordem de prisão são da área de inteligência, “burocráticos”, trabalham em escritório e “não são operacionais”.
 
Jefferson relata que um policial “magrinho” atirou nele. “Ele que atirou em mim primeiro”, afirma. “Ele três vezes ficou enquadrado no meu red dot [função que auxilia o atirador na hora do disparo]. E eu falei, ‘não atira nele, Roberto Jefferson’. Eu não atirei. Quando eles correram para atrás da viatura, aí eu joguei a granada na frente.”
 
O policial pergunta que tipo de granada Jefferson atirou contra os policiais, e ele responde que era de efeito moral. O agente ri —ao fazer comentário sobre o cheiro no local.
 
Jefferson admite ainda ter jogado uma segunda granada quando os policiais desceram a ladeira e diz que atirou apenas contra o carro “quando não havia ninguém”.
 
Revolta e indignação
 
Nas redes sociais o vídeo provocou revolta. Centenas de pessoas criticaram a condescendência da polícia no episódio, onde dois agentes ficaram feridos. Veja algumas reações.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS