PERIGO: Copa América trouxe variante inédita do novo coronavírus ao Brasil

Duas amostras de casos positivos para covid-19 de pessoas envolvidas na competição de futebol são da linhagem B.1.621, variante de interesse originária da Colômbia, que nunca havia sido detectada no Brasil

PERIGO: Copa América trouxe variante inédita do novo coronavírus ao Brasil

Foto: Divulgação

Apesar de o Ministério da Saúde comemorar a realização da Copa América no Brasil e dizer que a competição não aumentou os casos de covid-19, o torneio de futebol, encerrado no último sábado (10/7), trouxe ao país uma variante inédita, que ainda não havia sido identificada no Brasil. Segundo o Instituto Adolfo Lutz, dois casos de uma variante de interesse originária da Colômbia foram encontradas em amostras coletadas de pessoas envolvidas na Copa América.
 
Os dois casos positivos da nova variante foram identificados em amostras que vieram de Cuiabá, em Mato Grosso, cidade que recebeu jogos do torneio nos últimos dias. No total, cinco partidas foram realizadas na Arena Pantanal. As amostras são referentes a dois homens, de 37 e 47 anos, que vieram do Equador e da Colômbia, respectivamente.
 
Segundo o Instituto Adolfo Lutz, laboratório integrante da Rede Nacional de Sequenciamento do Ministério da Saúde, essa variante ainda não havia sido encontrada no Brasil. A nova cepa foi primeiramente detectada na Colômbia e, depois, localizada no Equador, nos Estados Unidos, no Caribe e em alguns países da Europa.
 
A confirmação foi feita pelo Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz, por meio do sequenciamento genético de amostras de SARS-CoV-2 enviadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Mato Grosso, que procedeu alerta ao National Influenza Center/Núcleo de Doenças Respiratórias no Instituto, para que os casos fossem investigados”, disse em nota o instituto.
 
O instituto ainda explicou que os vírus sequenciados possuem mutações "que podem estar associadas a um maior potencial de transmissão" e, por isso, a variante é considerada, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), uma variante de interesse.
 
Tipos de variantes
 
Desde o final de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divide as variantes como Variantes de Interesse (VOI) ou Variantes de Preocupação (VOC). As variantes de interesse são consideradas menos preocupantes do que as de preocupação.
 
Uma nova variante é considerada de interesse se seu genoma contiver mutações que mudem o fenótipo do vírus; se tiver sido identificada como causadora de transmissão comunitária, ou tiver sido detectada em vários países, por exemplo.
 
Já as variantes de preocupação, como é o caso da Delta, originada na Índia, podem demonstrar aumento da transmissibilidade ou alteração prejudicial na epidemiologia da covid-19, aumento da virulência ou mudança na apresentação clínica da doença; e diminuição da eficácia das vacinas e terapias disponíveis.
 
Além desses casos, outras 10 amostras já foram sequenciadas, e todas são referentes à variante Gamma (P.1), originada em Manaus e agora já predominante no Brasil. A variante Gamma é considerada uma variante de preocupação pela OMS
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS