BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DECISÃO: Petrobras prorroga trabalho remoto até 2021 por conta de pandemia

Medida visa proteger contra Covid-19

AGÊNCIA BRASIL

18 de Novembro de 2020 às 13:53

Foto: Divulgação

 

AGÊNCIA BRASIL - A Petrobras decidiu prorrogar o teletrabalho para atividades viáveis remotamente até 31 de março de 2021. Em comunicado divulgado hoje (18), a empresa afirma que o adiamento se dá em caráter excepcional, e visa à proteção da saúde de seus colaboradores e a prevenção da Covid-19.

 
"A companhia continuará monitorando os cenários interno e externo, com avaliação constante das decisões tomadas, tendo sempre como foco a prevenção e a segurança das pessoas. Em função de uma possível mudança de cenário da pandemia e dos locais em que a Petrobras atua, as condições de retorno poderão ser alteradas", disse a empresa.
 
A estatal pondera, no entanto, "que, algumas atividades, por sua natureza e essencialidade, não podem prosseguir de forma remota". Para esses trabalhadores, o retorno ao trabalho presencial será comunicado com antecedência e ocorrerá de "forma segura e gradual".
 
"Nas áreas operacionais, bem como para todas as instalações onde o retorno ao trabalho presencial já vem acontecendo, a companhia segue aprimorando as medidas preventivas que buscam proteger a saúde das pessoas que precisam manter o trabalho presencial para garantir a prestação de serviços essenciais à sociedade."
 
Entre outras ações de prevenção, a Petrobras já realizou mais de 320 mil testes de covid-19, inclusive no pré-embarque para suas plataformas, e distribuiu mais de 11 milhões de máscaras faciais em suas unidades operacionais.
 
Maior campo da Petrobras
 
O principal campo de produção de petróleo da Petrobras deve superar a marca de 2 milhões de barris por dia até o fim da década, projetou ontem (17) o gerente executivo da estatal, Marcio Kahn, no 3° Fórum Técnico Pré-Sal Petróleo, promovido pela Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A (PPSA).
 
Para chegar a esse patamar, o campo deve receber oito novos navios-plataformas (FPSO) e chegar a 12 unidades de produção. Com as quatro unidades flutuantes operando atualmente (P-74, P-75, P-76 e P-77), a produção do campo de Búzios é de 600 mil barris por dia, o que equivale a 27% da produção da companhia no Brasil.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS