EMBRAPA: Pesquisador da Sigatoka Negra receberá prêmio em Porto Velho

Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus, AM), foi agraciado com o Prêmio Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente de 2022

EMBRAPA: Pesquisador da Sigatoka Negra receberá prêmio em Porto Velho

Foto: Divulgação

 

O pesquisador Luadir Gasparotto, da Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus, AM), foi agraciado com o Prêmio Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente de 2022, na categoria Projetos de Desenvolvimento Sustentável na Região Amazônica, com o trabalho “Alternativas para o controle da sigatoka-negra da bananeira na Amazônia”. A premiação valoriza as diferentes categorias de iniciativas em prol do desenvolvimento sustentável e local da região. A entrega da premiação acontecerá dia 25 de novembro em Porto Velho, RO.
 
Gasparotto apresentou o trabalho que desenvolveu para evitar o contágio da sigatoka negra na bananeira pacovã, baseado na aplicação de fungicida na axila foliar da planta. A sigatoka é considerada a doença foliar mais destrutiva e de maior valor econômico nos cultivos de banana e da banana-comprida. Em todas as regiões produtoras de banana em grande escala, o controle da doença é efetuado com aplicação de fungicidas utilizando aviões e/ou helicópteros. Na Amazônia, onde as condições climáticas são extremamente favoráveis ao patógeno, a aplicação aérea é técnica, ecológica e economicamente inviável.
 
Para viabilizar o controle da sigatoka-negra em pequenos plantios na Amazônia, Gasparotto e equipe desenvolveram a técnica de deposição do fungicida na axila da segunda folha da bananeira. As aplicações iniciam nas plantas com 4 meses de idade, a intervalos de 60 dias, e reduzem de 50 aplicações anuais para apenas 3 aplicações por ciclo da cultura.
 
O pesquisador explica que a técnica apresenta maior eficiência no controle da doença, reduz o número de aplicações, é de fácil acesso aos pequenos produtores, não necessita de veículo (óleo, água), reduz a contaminação ambiental, pois o fungicida é colocado diretamente na axila da planta e oferece maior segurança ao operário, pois este não fica exposto ao produto, reduzindo as intoxicações. Para facilitar ainda mais o controle químico nos pequenos plantios de bananeira na Amazônia, será desenvolvida a técnica de injeção do fungicida no pseudocaule da planta.
 
É a segunda vez que a Embrapa Amazônia Ocidental tem profisisonais vencendo esse prêmio. A primeira foi a pesquisadora Joanne Regis da Costa, que recebeu em 2010, na categoria Ambiental, Sustentabilidade para Pequenas Propriedades Agrícolas em Condições Amazônicas.
 
Sobre a premiação
 
A premiação possui três categorias: Iniciativa de Desenvolvimento Local (IDL); Categoria Empresa na Amazônia; e Categoria Microempreendimento na Amazônia (Prêmio Florescer), a qual homenageia dois microempreendedores, valorizando o caráter empreendedor do pequeno negócio de sucesso na Amazônia, desenvolvidos nos meios urbano e rural.
 
Desde 2004, o Prêmio Professor Samuel Benchimol busca reconhecer e estimular projetos de desenvolvimento sustentável para o bioma amazônico e que se destacaram pela contribuição ambiental, econômica, social ou tecnológica proposta. A honraria é conferida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), as Federações de Indústrias da região e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), por meio do Ibict.
 
Já o Prêmio do Banco da Amazônia pretende revelar o potencial de transformação da Região Amazônica por meio de conceitos e práticas de Economia Criativa, Economia Verde ou Agroecologia e Produção Orgânica. A premiação também busca o reconhecimento de Empresas (Empresa na Amazônia) e de Microempreendedores de Sucesso na Amazônia (Prêmio Florescer).
 
AGRACIADOS 
 
Categoria: Projetos de Desenvolvimento Sustentável na Região Amazônica
 
 
Agraciado: Gilberto Hirokazu Nobumasa (Pará)
 
Título do Projeto – Extração e beneficiamento de óleos e manteigas amazônicas como fortalecimento de rede na comunidade do Acará.
 
Agraciado – Luadir Gasparotto (Amazonas)
 
Título do Projeto – Alternativas para o controle da sigatoka-negra da bananeira na Amazônia
 
Agraciada - Cláudia Guerra Monteiro (Amazonas)
 
Título do Projeto – Biofemme da Amazônia: o absorvente sustentável para mulheres em situação de vulnerabilidade
 
 
 
Categoria: Personalidades dedicadas ao Desenvolvimento Sustentável da Região Amazônica
 
 
Agraciado – Adelio Barofaldi (Rondônia)
 
 
 
Categoria: Iniciativa de Desenvolvimento Local
 
 
Candidato - Renilto Frota Correa (Amazonas)
 
Título do Projeto – Cultivar algas na Amazônia: garantia de fonte protéica para o futuro
 
Candidato - Renilto Frota Correa (Amazonas)
 
Título do Projeto – Semeando florestas comestíveis com ARP em áreas degradadas: uma proposta inovadora para o bioma amazônico.
 
Candidato - Enoque Raposo (Roraima)
 
Título do Projeto – Turismo de base comunitária: uso sustentável do espaço e manutenção das tradições na Raposa –RR
 
 
Categoria: Empresa na Amazônia
 
 
Agraciado - Hidrelétrica de Santo Antônio, na Amazônia (Amazonas)
 
 
Categoria: Micro empreendimento na Amazônia (Prêmio Florescer) - Urbano
 
 
Agraciado - Ebenezer Cosméticos  (Pará)
 
 
Categoria: Micro empreendimento na Amazônia (Prêmio Florescer) - Rural
 
 
Agraciado - Sítio Deus Proverá (Pará) 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS