MILHO: Rondônia é o único estado brasileiro a registrar aumento na produtividade

O aumento foi registrado na segunda safra de 2020/21

MILHO: Rondônia é o único estado brasileiro a registrar aumento na produtividade

Foto: Divulgação

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), apresentou dados oficiais sobre o aumento de produtividade do milho na segunda safra de 2020/21. Os índices de uma empresa de consultoria especializada no agronegócio brasileiro, apontam que Rondônia foi o único que teve um crescimento de 6% entre os maiores produtores de milho.
 
O mesmo informativo mostra que a média brasileira despencou 27,3% variando entre quedas razoáveis, como no Piauí, com 3%, às mais bruscas, a exemplo de Minas Gerais, onde o déficit é de 52%.
 
No Ranking da Lavoura, registrado pelo Agrodados, setor de validação das referências aportadas à Seagri e que envolve todas as espécies de plantio, o milho surge em segundo lugar regional, atrás apenas da soja.
 
O Valor Bruto de Produção (VBP) da lavoura chega a R$ 6,6 bilhões: sozinho, o milho responde por R$ 1,5 bilhão, representando 21% do todo, sacramentando a pujança econômica gerada pelo grão em Rondônia.
 
 
Rondônia é o único estado com números positivos
 
PROJEÇÃO CONFIRMADA
 
A projeção positiva já havia sido confirmada na segunda edição do Informativo Agropecuário de Rondônia de 2021, produzido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no mês de junho.
 
À época, o informativo trouxe ao conhecimento do público as estimativas e análises da produção de grãos, café, pecuária e outros produtos agropecuários do Estado.
 
A veiculação destacou o VBP de Rondônia para 2021, que está estimado em R$ 19,1 bilhões, resultado 12,9% maior do que o obtido em 2020.
 
Os produtos agrícolas com maior variação percentual em 2021, quando comparados com 2020, foram o arroz, a soja e o milho, destacando desde então o protagonismo do cereal, convalidado agora com as informações apresentadas pela Seagri.
 
O secretário da pasta, Evandro Padovani, ressalta que o clima de Rondônia, como fator preponderante, foi decisivo para que os números não caíssem “e a produção não ‘quebrasse’ como em outras unidades da federação”.
 
Padovani exaltou a inciativa dos produtores em optarem pelo alto investimento em adubação. “A aplicação das médias e altas tecnologias em adubação também contribuíram, porque o milho é uma cultura que responde muito ao método, aos tratos culturais”.
 
 
Milho representa sozinho 21% de todo o VBP da lavoura rondoniense
 
Na visão do secretário, a junção do binômio clima-investimento tornou possível a manutenção da escala progressiva nos números relacionados ao grão. Ele antecipou que Rondônia seria o estado da federação com menos impacto por causa do tempo e destacou, à época, que “Rondônia é o Estado que menos terá perda pela seca, estiagem, do que em ouras unidades. Estamos esperançosos que a colheita seja finalizada com bons resultados, o que a previsão do Agrodados já evidencia”.
 
VBP
 
O Valor Bruto de Produção, de acordo com o Ministério da Agricultura, Agropecuária e Abastecimento (Mapa), mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento.
 
Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária, e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.
 
O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas.
 
A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS