SETOR PRODUTIVO: Assinado Protocolo de Intenções para impulsionamento

A assinatura do documento visa promover ações coordenadas, integradas, cooperadas e com corresponsabilidade

SETOR PRODUTIVO: Assinado Protocolo de Intenções para impulsionamento

Foto: Divulgação

 

Investimentos para garantir maior impulso nos setores produtivos do Estado foram destacados durante a assinatura do Protocolo de Intenções entre o Governo de Rondônia e o Banco da Amazônia (Basa), por meio do qual o Banco disponibiliza crédito para 2021 que ultrapassa R$ 1,88 bilhão em fomento do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) e Carteira Comercial, com intuito de estimular e diferenciar a finalidade de crédito para fomentar a economia e, ao mesmo tempo, reforçar o desenvolvimento socioeconômico.
 
A assinatura do documento foi realizada de forma remota na manhã desta segunda-feira (22), respeitando as medidas de segurança de prevenção ao coronavírus.
 
A assinatura do Protocolo de Intenção teve a participação do governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, e contou coma presença do presidente do Banco da Amazônia (Basa), Valdecir Tose; do superintendente do Basa em Rondônia, Diego Campos; da superintendente do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Louise Caroline.
 
Na ocasião, foi destacada a importância da parceria entre o Poder Executivo Estadual com o Banco da Amazônia e pontuadas as ações que vão ao encontro do setor produtivo.
 
A assinatura do documento foi realizada de forma remota na manhã desta segunda-feira (22)
 
Pelo Protocolo de Intenções, o Basa disponibilizará aos setores produtivos do Estado, recursos financeiros, sendo mais de R$ 1,5 bilhões para crédito de fomento da fonte do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO); e R$ 300 milhões na Carteira Comercial, tendo compromisso de: atuar alinhado com as prioridades setoriais e espaciais definidas pelas políticas específicas ou setoriais do Governo Federal e Governo Estadual; divulgar amplamente os programas de financiamentos, as normas e procedimentos operacionais, visando facilitar a habilitação dos beneficiários ao crédito;  induzir e apoiar o fortalecimento do associativismo/cooperativismo de produção do meio rural, agroindustrial e industrial; assegurar recursos financeiros para financiar investimento, custeio e capital de giro, em consonância com os normativos vigentes; construir  parcerias (poder público e privado) como forma de somar esforços a serviço do desenvolvimento local.
 
Também pelo Protocolo de Intenção, o Governo de Rondônia firma compromisso de: nos setores industriais e serviços, desenvolver ações que propiciem a expansão de atividades de maior demanda de mão de obra, intensificando a geração de emprego e renda; assegurar e disponibilizar os serviços de assistência técnica e extensão rural do Estado, com o objetivo de materializar os esforços para atender ao que dispõe a legislação agrícola; garantir recursos financeiros para responder as necessidades dos investimentos em melhorias e/ou expansão da infraestrutura econômica básica em áreas prioritárias; promover a mobilização e organização dos segmentos produtivos para impulsão das iniciativas de desenvolvimento local.
 
A assinatura do documento visa promover ações coordenadas, integradas, cooperadas e com corresponsabilidade para impulsionar o desenvolvimento. Ao destacar o momento importante, o presidente do Basa, Valdecir Tose, fez um breve apanhado dos dados apresentados no ano de 2020, ressaltando a disponibilidade de crédito para todos os setores produtivos do Estado.
 
O presidente do Basa comentou sobre as contratações de créditos de fomento dos últimos cinco anos em Rondônia. Segundo ele, de 2016 a 2020 foram investidos R$ 5,7 bilhões no credito de fomento.
 
Nesse período, R$ 3,6 bilhões utilizados para contratações de créditos em apoio à agropecuária. Também foram aplicados R$ 573 milhões para atender microempreendedor individual (MEI) e as micros e pequenas empresas, também nos últimos cinco anos.
 
De acordo com o Superintendente regional do Basa em Rondônia, Diego Campos, o Estado tem um grande potencial de escoamento de produção, estando propício para investimentos nos setores de logística, portos e transportes, e prevê a aplicação de crédito para a agricultura.
 
O governador Marcos Rocha também fez uma breve explanação do crescimento econômico do Estado e destacou o Banco da Amazônia, reconhecendo tratar-se de uma instituição de extrema importância para Rondônia, pela quantidade de ações efetivadas na Amazônia como todo.
 
“Estamos pronto para poder fazer todas as ações em conjunto para o desenvolvimento do Estado. Tanto o Basa quanto a Sudam são instituições que têm desenvolvido e trabalhado para o crescimento econômico orientando e assistindo ao setor produtivo. O Governo de Rondônia é grato e estamos jutos para promover o desenvolvimento do nosso Estado”, enfatizou Marcos Rocha.
 
Marcos Rocha lembrou do maior evento que movimenta o setor econômico: a Rondônia Rural Show que não ocorreu no ano passado por conta da pandemia do coronavírus, mas sempre que é realizada bate recordes em negócios fechados.
 
Na última edição, em 2019, o evento atraiu mais de 120 mil pessoas durante os quatro dias da feira realizada no Centro Tecnológico Vandeci Rack, em Ji-Paraná.
 
Ao finalizar, o governador enfatizou o desenvolvimento do agronegócio que tem avançado e voltou a defender a união para o desenvolvimento do Estado e a Amazônia como um todo.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Expresso Marlin LTDA

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS