BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CARROSSEL: Hildon Chaves ainda não se manifestou sobre operação da PF

Secretário Municipal de Educação, Márcio Félix, ficou sabendo de operação através do Rondoniaovivo

Rondoniaovivo

04 de Setembro de 2019 às 08:59

Foto: Divulgação

Deflagrada na manhã desta quarta-feira (4) pela Polícia Federal, a Operação Carrossel que cumpriu nos estados de Rondônia, Acre e Amazonas, 36 mandados judiciais, sendo 05 de prisão temporária, 17 de busca e apreensão e 14 de sequestro e indisponibilidade de bens, pegou de surpresa o primeiro escalão da Prefeitura de Porto Velho.

 

Em contato com a assessoria de comunicação institucional do executivo municipal a reportagem foi informada que o prefeito Hildon Chaves (PSDB), já tomou conhecimento da movimentação policial em torno de seus comandados, porém ainda analisa o caso para uma possível manifestação.

 

VEJA MAIS

 

CARROSSEL: PF deflagra operação para combater desvio de recursos públicos na Semed

 

CARROSSEL: Operação na Prefeitura de Porto Velho tem 5 mandados de prisão

 

Já o secretário municipal de Educação, Márcio Felix(foto), afirmou que tomou conhecimento da operação através das notícias veiculadas pelo jornal Rondoniaovivo e por volta das 08h30 desta manhã se deslocou até a secretaria para tomar conhecimento pleno da situação.

 

VEJA MAIS

 

TRANSPORTE ESCOLAR: Pais registram ocorrência na delegacia após nova paralisação do serviço

 

CRISE NA EDUCAÇÃOEstudantes de 12 comunidades estão sem transporte escolar em PVH

 

TRANSPORTE ESCOLAR: Prefeitura não cumpre promessa e moradores voltam a fechar a BR-319

 

Nem a assessoria de Hildon Chaves e nem o secretário Márcio Felix souberam informar quem teriam sido os cinco presos durante a operação, que além de agentes públicos também investiga empresários do ramo de transporte.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

NOVA DATA: Após adiamento, confira como fica o cronograma do Enem

NOVA DATA: Após adiamento, confira como fica o cronograma do Enem

Ministro da Educação anuncia, por meio de rede social, adiamento do prazo para se habilitar à prova. Pagamentos podem ser feitos até um dia depois da data final para garantir a participação. Até o meio-dia de ontem, mais de 5 milhões de pessoas tinham feito o cadastro

23 de Maio de 2020 às 10:36