Mídias sociais e a propagação da informação pública

A informação está mais acessível e popularizada através da tecnologia touchscreen se caracterizando como instantânea, pela rapidez e abrangência, também utilizada por deficientes visuais através de aplicativos de comando de voz, proporcionando acessibilidade.

 

Comum perceber momentos em que não estão claras as informações compartilhadas, tampouco a veracidade dos conteúdos propagados onde, em questão de segundos, uma notícia pode ser viral alcançando o mundo, tornando-o mais globalizado, conectado e atualizado através das midias sociais.

 

Assim, é importante se conscientizar quanto a realidade do seu uso, visto a necessidade de se tornar um instrumento positivo e favorável possibilitando a participação cidadã, propagando a informação pública com qualidade.

 

De acordo com Santos & Santos (2014), as redes sociais digitais podem ser consideradas como: “Um meio de possibilidades, estabelecido a partir dos elementos virtuais e das relações entre os indivíduos usuários. Estão inseridas no ciberespaço (LÉVY, 1999), cujo crescimento é agenciado pela conexão entre computadores e celulares. Por assim dizer, 'as redes consistem não apenas em pessoas e grupos sociais, mas também em artefatos, dispositivos e entidades' (SANTAELLA; LEMOS, 2010, p. 40), ou seja, consistem na inter-relação entre sistemas de objetos dos quais citamos, e, pessoas, pois 'uma rede social é sempre um conjunto de atores e suas relações' (RECUERO, 2009, p. 69), caracterizando-se como "[...] sites na internet que permitem a criação e compartilhamento de informações e conteúdos pelas pessoas e para as pessoas [...]' (TORRES, 2009, p. 113), onde os consumidores dos conteúdos aí veiculados (criação e compartilhamento coletivo de textos, imagens, sons e videos) são, ao mesmo tempo, produtores e consumidores dos mesmos através da informação. (p. 4).”

 

 

Daquino (2012) afirma que "temos gastado cada vez mais tempo do nosso dia interagindo com outras pessoas através das redes sociais" e elenca a cronologia da comunicação virtual:

 

  1. 1969, após a implantação da conexão dial-up, surgiu um serviço de conexão à internet muito utilizado nos Estados Unidos, o CompuService;
  2. 1971 foi enviado o primeiro e-mail;
  3. 1984 se implanta o serviço Prodigy, sucessora da CompuService;
  4. 1994 nasce a GeoCities, alcançando a adesão de cerca de 38 milhões de usuários, posteriormente adquirido pela Yahoo! o qual possibilitava a criação de páginas na web;
  5. 1995 a American Online (AOL) disponibiliza ferramentas para criação de perfis virtuais com a descrição biológica; nascimento do The Golbe para relato de experiências pessoais de forma interativa; surgimentos da Classmates para relações entre amigos escolares ou de trabalho;
  6. 1997 a AOL implementa um serviço de mensagens instantâneas;
  7. 2000 a internet se populariza e os usuários utilizam ativamente o serviço de criação de perfis sociais online;
  8. 2002 emerge o Fotolog e Friendster, primeiro a utilizar o termo "rede social", para publicação de fotos e expressão de sentimentos e reflexões pessoais;
  9. 2003 surgem LinkedIn, para contatos profissionais, e Myspace, similar ao Friendster;
  10. 2004 se disponibiliza o Flickr, Orkut e Facebook;
  11. 2006 o Facebook já registrava 908 milhões de usuários;
  12. 2009 é disponibilizado oFormspring para interação através de perguntas e respostas;
  13. 2010 o Printerest dá as caras na web para publicação de imagens; e
  14. 2011 o Orkut encerra suas atividades e abre porta para Google+ e Twitter;

 

As mídias sociais possuem grande parcela de usuários por ser considerada a melhor forma de comunicação entre os usuários na internet.

 

Disponibilizado em 4 de fevereiro de 2004, a Rede Social Digital Facebook "tem o objetivo de configurar um espaço no qual as pessoas possam encontrar umas às outras", Santana (2015).

 

 

Figura 01. Mark Zuckerberg, Eduardo Saverin, Dustin Moskovitz e Chris Hughes, criadores do Facebook.

 

 

No começo, limitada aos universitários de Havard, posteriormente estendida ao Instituto de Tecnologia de Massachusetts, depois à Universidade de Boston, Stanford, Columbia e Yale. Era acessada pelo endereço thefacebook.com e , atualmente é a mídia social mais utilizada no mundo com adesão de mais de dois bilhões de usuários.

 

Utilizadas para expressão da opinião, manifestações, registro de momentos e compartilhamento de ideias pessoais, não se utilizam para empreender, principalmente quando necessária divulgação de preços, produtos ou serviços. O Facebook possui regras para notificar e punir o usuário conforme gravidade da situação.

 

Para que sua utilização proporcione a melhoria dos serviços públicos, é recomendado a aplicação do princípio crowndsourcing pois o entende como “colaboração mútua”., sendo necessário seguir recomendações de usabilidade para publicidades coerentes e honestas:

 

  1. Averiguação da veracidade do que se pretende compartilhar, para que não sejam veiculadas notícias duvidosas;
  2. Percepção de utilidade da informação, especificando apontamentos bem definidos dentro do contexto abordado possibilitando medidas favoráveis à mudança almejada;
  3. Definir a intenção e objetivo do conteúdo a ser propagado, pois pode ser transformador, resultando na colaboração para o bem estar social;
  4. Prevenção de equívocos, pois o conteúdo pode não deixar informações bem esclarecidas;
  5. Retorno, quando algo é inserido na internet espera resultado através das formas de interação, podendo ser positivas ou negativas.
  6. Utilização de hashtags para agregar o conteúdo através do símbolo “#” (cerquilha), para maior amplitude de veiculação, inclusive sendo utilizada por outros usuários.

 

As interações nas mídias sociais podem minimizar conflitos e circulação de notícias inverídicas se substituídas por comportamentos favoráveis ao crescimento, evolução e aperfeiçoamento de um convívio cibernético melhor, não descartando as situações negativas também como fator de aprimoramento.

 

Para Siqueira (2017), “uma fanpage (ou página do Facebook) é uma página criada especialmente para ser um canal com fãs dentro da rede social”, também “são um canal de comunicação muito valioso para empresas”. Elas são gerenciadas através dos perfis pessoais.

 

Para gerenciar uma Fanpage é necessário ter coerência e atenção, pois uma vez que a informação é publicada, mesmo que seja excluída ou retificada, ainda assim será alvo de especulações e, dependendo do número de seguidores e repercussão.

 

Assim é fundamental que seus gerentes sigam algumas recomendações:

 

I.          Pesquisa Netnográfica para abrangência geográfica de usuários que almeja alcançar;

II.         Publicação de conteúdos relevantes e verídicos, acompanhando os resultados alcançados;

III.        Cordialidade com os usuários, evitando conflitos;

IV.  Utilização de linguagem compreensível para qualquer faixa etária;

V.         Deixar claro o regimento ou política interna;

VI.       Realização de campanhas, utilizando hashtags e promovendo a realização de check-in.

 

Assim serão destacadas funções importantes devido necessidade de maior atenção quanto sua visibilidade que pode comprometer ou esclarecer situações de uso e popularidade.

 

A participação pública nas Mídias Sociais ainda se mostra como um grande desafio a ser superado na sociedade. A falta de qualificação, a necessidade de implantação de rotinas que viabilizem a interação positiva nas redes sociais digitais ainda é uma realidade que precisa ser aprimorada.

 

A integração dos órgãos públicos às mídias sociais é algo que precisa de visibilidade e conscientização por parte dos mesmos, buscando manter a qualificação de pessoal em setores estratégicos de mediação para que haja democracia e promova a participação cidadã.

 

Portanto à sociedade virtual cabe condutas que proporcionem o desenvolvimento positivo dos serviços públicos, uma vez que muito conteúdo negativo oufake news são divulgadas e que mostram-se inúteis diante de tantos problemas sociais que vem crescendo pelo conflito, que pode se tornar uma realidade diferente e proporcionar o aperfeiçoamento para que os usuários destes serviços tenham qualidade no atendimento e assistência.

 

 

 

DANILO MORAIS DA SILVA é pós-graduando em Gestão da Comunicação Digital e Mídias Sociais pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM), especialista em Gestão da Tecnologia da Informação, pelo Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN), e em Sistemas de Informações, pela Faculdade Cidade Verde (FCV). Também é Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pelo Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN) e. atualmente é servidor público do quadro efetivo da Prefeitura Municipal de Porto Velho, lotado na Superintendência Municipal de Tecnologia da Informação e Pesquisa (SMTI).

 

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7159986007035372

 

E-mail: danilo_pvhro@outlook.com

Direito ao esquecimento

Qual você acha que será o resultado do jogo entre Brasil e Suíça nesta segunda-feira (28)?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Baltazar Vilas Boas

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS