CRESCIMENTO: Demanda por viagens domésticas já atinge 85% do volume pré-pandemia

América Latina tem a melhor taxa de ocupação entre as regiões pelo nono mês seguido

CRESCIMENTO: Demanda por viagens domésticas já atinge 85% do volume pré-pandemia

Foto: Divulgação

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) anunciou que a demanda de passageiros por viagens aéreas nacionais e internacionais apresentou aumento significativo em julho de 2021 em comparação com junho, mas permaneceu muito abaixo dos níveis pré-pandemia. De acordo com a associação, as extensas restrições a viagens impostas pelos governos continuam atrasando a recuperação nos mercados internacionais.
 
Com comparações relacionadas a julho de 2019, a demanda total por viagens aéreas caiu 53,1% em julho de 2021, uma melhoria significativa em relação à queda de 60% registrada em junho de 2021 versus junho de 2019. A demanda total por viagens nacionais caiu 15,6% em relação aos níveis pré-crise (julho de 2019), resultado melhor que o declínio de 22,1% registrado em junho de 2021 versus junho de 2019.
 
A demanda por viagens internacionais de julho ficou 73,6% abaixo do índice de julho de 2019, mas esse resultado foi melhor que a queda de 80,9% registrada em junho de 2021 versus junho de 2019. Todas as regiões apresentaram melhorias, com as companhias aéreas da América do Norte registrando a menor queda.
 
As companhias aéreas da América Latina apresentaram queda de 66,3% na demanda de julho em relação ao mesmo mês de 2019, uma melhoria em relação à queda de 69,8% registrada em junho de 2021 versus junho de 2019. A capacidade recuou 60,5% e a taxa de ocupação caiu 12,6 p.p, atingindo 72,9%, a maior entre as regiões pelo nono mês consecutivo. No Brasil, queda de 19,6% de demanda e de 18% de capacidade, o que fez a taxa de ocupação cair 1,7 p.p para 83,1%.
 
Os resultados de julho refletem a vontade das pessoas de viajar durante o verão no hemisfério norte. O tráfego doméstico atingiu 85% dos níveis anteriores à crise, mas a recuperação da demanda internacional só atingiu um pouco mais de um quarto dos volumes de 2019. O problema é a medida de controle das fronteiras. As pessoas viajaram para onde puderam ir, mas para que a recuperação das viagens internacionais ocorra, os governos precisam restaurar a liberdade de viajar. No mínimo, os viajantes vacinados não deveriam enfrentar restrições”, disse Willie Walsh, diretor geral da Iata.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS