BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

EXONERAÇÕES POLÍTICAS: Vereador Renato Padeiro e o irmão agridem fisicamente Geraldo da Rondônia

Deputado detalha os motivos do rompimento político com o vereador que junto com ao irmão já o ameaçaram por diversas vezes

ASSESSORIA

05 de Maio de 2020 às 17:28

Foto: Divulgação

No ano de 2018, enquanto postulava a continuação do mandato de deputado estadual pelo PSC, o deputado Geraldo da Rondônia estabeleceu algumas parcerias políticas, com acordos de realização de trabalhos futuros levando em conta o desenvolvimento do estado e a aplicação de atividades que o parlamentar pré-definiu como prioritárias, sendo algumas delas relacionadas a ação social e saúde pública.
 
Renato Padeiro, vereador de Ariquemes, foi uma dessas lideranças que manifestou apoio a Geraldo da Rondônia neste período. E um dos nomes que o vereador apresentou para o deputado na ocasião, foi o de seu irmão Valdemir Cavassani Garcia, o popular “Gordo”.
 
Após tomar posse de seu segundo mandato, Geraldo da Rondônia consolidou o compromisso de trabalhar com seus aliados, nomeando então para cargo de confiança em seu gabinete, pessoas de indicação do vereador, sendo o Valdemir Cavassani Garcia (GORDO), Vanessa Amantino Maciel Garcia e Maísa Bratz Assunção. Todos com nomeações a partir de 01 de fevereiro de 2019 (data da posse do deputado).
 
EXONERAÇÃO
 
O deputado mencionou um fato importante no decorrer deste ano, que em março, a Assembleia Legislativa realizou uma reforma administrativa no parlamento estadual, onde todos os deputados tiveram que reformular grande parte da equipe de trabalho, reduzindo o número de funcionários a disposição de cada gabinete.
 
Após um ano de desgastes políticos, com o relacionamento profissional e de interesses públicos/políticos com o vereador abalado, o deputado Geraldo da Rondônia optou então por autorizar a exoneração dos assessores de indicação de Renato Padeiro.
 
Geraldo assegurou ainda que os assessores exonerados não estavam apresentando resultados satisfatórios de trabalho, motivo que o fez consolidar a dispensa dos nomeados já mencionados.
 
AMEAÇAS
 
O deputado Geraldo da Rondônia relata que com a aproximação do período eleitoral, Renato Padeiro começou a pressiona-lo para aumentar o número de nomeações indicadas por ele, assim como aumento dos valores dos que já estavam nomeados. Usando assuntos de diversas esferas pessoais para tentar induzir o deputado a efetivação do pedido.
 
Mesmo não se sentindo intimidado com a pressão psicológica, o deputado optou pela efetivação das exonerações e afastamento político definitivo, assim como neste momento, de ter tomado a atitude de vir a público relatar as ameaças graves (que se tornaram maiores no decorrer dos dias) por parte principalmente de Valdemir Garcia (Gordo) e do próprio vereador.
 
Geraldo da Rondônia mencionou ainda que tem em mãos provas que constatam que todo o objetivo das ameaças são referentes a nomeações para cargos e funções em seu gabinete. E que os assuntos referentes a empresa da família já foram amplamente negociados e revistos.
 
QUITAÇÃO DE CHEQUES
 
Sobre a cobrança de cheques e assuntos referentes a empresa da família do deputado Geraldo da Rondônia, a gerencia do empreendimento situado em Ariquemes, esclareceu detalhes administrativos. “Toda empresa nova, recém instalada precisa de movimento financeiro para poder arcar com as despesas de instalação, compras de estoques, funcionários e afins. Os cheques da empresa que tiveram devolução já foram apresentados as proposta de quitação para (no caso junto ao vereador e seu irmão), sendo que os mesmo tiveram posicionamento negativo quanto ao recebimento. Seguraram os cheques sem motivos plausíveis. Tendo assim mais argumentos para pressionar o deputado com as nomeações”.
 
O administrador do comércio frisou ainda que em todas as vezes que tentou pagar os cheques foi surpreendido com a resposta do vereador de que o assunto seria somente resolvido pessoalmente com o deputado. O gerente frisou ainda ter procurado inclusive ao Ministério Público e delegacia para tratar sobre a falta de vontade dos mesmos em resolver a quitação do débito, que já estava prejudicando o comércio com os fornecedores. “Infelizmente o caso não teve andamento nos órgãos de justiça por estar em período de quarentena pelo COVID-19 – só atendendo casos de extrema urgência”.
 
Ficando claro então que o assunto “cheques devolvidos” estavam sendo usados somente como pretextos para o vereador e o irmão pressionarem o deputado pelas nomeações.
 
Foi ressaltado ainda que Renato Padeiro e Valdemir Garcia, já vinham realizando compras particulares na empresa com a finalidade de abatimentos de dividas. Tudo em comum acordo entre as partes interessadas.
 
 
AGRESSÃO e OCORRÊNCIA POLICIAL
 
Por volta das 18h do dia 30 de abril, em Ariquemes, Geraldo da Rondônia estava em um estabelecimento comercial de sua família, localizado na região central de Ariquemes, no momento em que conversava com o também vereador Zul Pinheiro e outras pessoas que estavam no local realizando compras, sendo surpreendido com a chegada intempestiva do vereador acompanhado de seu irmão Valdemir “Gordo”, já bastante alterados (nas filmagens de segurança, o vereador aparece de camiseta laranja, Valdemir de camiseta bordô e Geraldo da Rondônia com camiseta azul escuro).
 
O tumulto começou ser formado quando “Gordo” partiu para agressão ao deputado, argumentando que estava “cobrando” valores entre outros assuntos referentes ao comércio da família do parlamentar. Motivo que segundo o deputado foi manipulado para chamar a atenção dos interessados na confusão, sendo que o interesse dos agressores e de todo o rompante era intimidar e obrigar o deputado a recontratação dos nomes indicados pelo vereador. Posteriormente, em depoimentos, o deputado afirmou possuir provas do motivo e de todas as intimidações que vinha sofrendo.
 
Durante o tumultuo, o deputado tentou por diversas formas tirar o telefone do bolso para acionar a guarnição da polícia, mas foi impedido, relatou.
 
Deputado Geraldo da Rondônia, que a pouco mais de 15 dias passou por uma cirurgia na região do abdômen ficou lesionado.
 
O vereador e o irmão ao evadirem-se em seguida do local, no momento que realizaram graves ameaças até contra a vida ao parlamentar (presenciado por cliente do comércio). Na sequência foram chamadas viaturas da polícia para o local e o deputado seguiu para UNISP para registrar boletim de ocorrência e ao IML para corpo de delito.
 
“GORDO”, o irmão agressivo do vereador
 
Segundo o deputado, que vem chamando a atenção nos fatos da agressão e da chantagem, é o vereador Renato Padeiro usar a todo instante a presença e a imagem de seu irmão, o mesmo conhecido na cidade por diversas infrações e desacordos com a lei. “Várias pessoas tem me procurado para relatar ameaças objetivadas pelo “Gordo” principalmente por assuntos de cunhos financeiros. Uma figura muito conhecida por atitudes que não condizem a legalidade, relatou o parlamentar.
 
Geraldo da Rondônia esclareceu ainda que por muitas vezes se sentiu acuado e constrangido com a presença e falas intrigantes do irmão do vereador, sempre realizando “pressões desmedidas e desnecessárias”.
 
O deputado assegurou que “nem chantagens nem as graves ameaças irão faze-lo abrir mão do que acredita ser o mais seguro para o seu mandato político”. Frisando ainda que todos os parceiros que estão somando com seu projeto, que trabalham na mesma sintonia terão ampla abertura no seu mandato. Mas jamais irá se sujeitar a atender ameaças e acolher em seu mandato pessoas que não agregam para em seu projeto.
 
Neste momento o deputado diz está certo de levar todo os esclarecimentos devidos ao público, mesmo sob ameaças, como forma de resguardar sua segurança e de seus familiares.
 
 
 
 
Texto e vídeo: Assessoria
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS