BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

VEREADORA: Cristiane Lopes destaca apoio à mulheres vítimas de violência em meio a quarentena

A parlamentar ressaltou ainda que já está em vigor, a Lei n° 2649/2019, de sua autoria, que cria o Projeto a Campanha Permanente de Conscientização e Enfrentamento a Violência Sexual no município.

ASSESSORIA

22 de Abril de 2020 às 11:08

Foto: Divulgação

Em uma live na sua página no Facebook, a vereadora Cristiane Lopes tratou sobre a violência doméstica em tempos de isolamento social. A Cabo PM Milene Barreto, que é policial há cerca de 15 anos e atua na Patrulha Maria da Penha participou da live e deu informações importantes sobre o tema.
 
"Em meio ao caos que estamos vivendo por conta do combate a essa pandemia, não podemos deixar de tratar sobre um assunto tão sério como este. O número de denúncias de violências contra mulher tem aumentado significativamente com o isolamento social. Nosso objetivo aqui é dar dicas e tentar ajudar a mulher que está nessa situação a encontrar meios de sair dela", destacou.
 
A parlamentar ressaltou ainda que já está em vigor, a Lei n° 2649/2019, de sua autoria, que cria o Projeto a Campanha Permanente de Conscientização e Enfrentamento a Violência Sexual no município. "O combate à violência contra a mulher deve ser permanente. Não só no mês de março, por exemplo. Essas mulheres precisam de apoio para reconquistar a autoestima, a confiança e sair dessa situação", enfatizou Cristiane Lopes.
 
Além disso, a vereadora irá encaminhar ofício ao Governo do Estado solicitando que a Patrulha Maria da Penha, que está com as atividade suspensas, seja considerada como serviço essencial durante esse período de enfrentamento à COVID-19.
 
Já a policial militar destacou que existem cinco tipos de violência que as mulheres podem está sofrendo e que estão previstas na Lei Maria da Penha, são elas: física, psicológica, patrimonial, moral e sexual. E ainda a importância das mulheres ou até mesmo amigos e vizinhos realizarem a denúncias. "É muito importante que a mulher dê esse primeiro passo e realize a denúncia. Temos uma rede de apoio para as vítimas de violência. E você que conhece alguém que é vítima de violência, também pode denunciar".
 
Entre os Canais de Denúncia estão:
 
Delegacia Especializada em Atendimento a Mulher, 07:30h ás 19:30h (SEG á SEX)
3216-8855
3216-8800
9 8479-8760 Whatsapp
 
Ministério Público 
127 
9 8408-9931 Whatsapp (SEG á SEX)
9 9970-7656 Plantão Criminal (SÁB/DOM/FER)
E-mail: violenciadomestica@mpro.mp.br
 
Defensoria Pública (Somente Urgências) Solicitação de Medida Protetiva de Urgência/descumprimento/prorrogação
NUDEM - Núcle do Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher 
7:30h ás 13:30H (SEG á SEX)
9 9204-4715 Whatsapp
9 9208-4629 Plantão 
9 9249-4642 Atend. ao Agressor 
 
CREAS MULHER (somente urgências)
 
8h ás 18h (SEG a SEX)
3901-3640
9 8473-4725
Plantão Social (SÁB/DOM/FER)
0800-6471311
 
ONU Mulheres divulgou relatório
 
O relatório "A sombra da pandemia: violência contra mulheres e meninas e Covid-19" é um documento que foi divulgado agora em abril pela ONU Mulheres, entidade da Organização das Nações Unidas para igualdade de gênero e empoderamento. Nele a ONU diz que em alguns países o número de mulheres que ligam solicitando apoio para casos de violência pode dobrar, como já vem acontecendo em algumas cidades do Brasil.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS