BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Até o cachorro de Cassol tem um policial para cuidar pago com dinheiro do povo diz Hermínio

Sempre polêmico e direto em suas respostas, Hermínio bateu firme no ex-governador e senador licenciado Ivo Cassol (PP). “Cassol ainda tem uma influencia muito grande junto aos deputados, especialmente aos reeleitos. Em Vale do Anari, com 10 mil habitantes

Da Redação

20 de Setembro de 2011 às 15:18

Foto: Divulgação

O deputado estadual Hermínio Coelho (PT), 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, foi o entrevistado desta terça-feira (20) do programa A Voz do Povo, comandado pelo jornalista e advogado Arimar Souza de Sá.

 

Sempre polêmico e direto em suas respostas, Hermínio bateu firme no ex-governador e senador licenciado Ivo Cassol (PP). “Cassol ainda tem uma influencia muito grande junto aos deputados, especialmente aos reeleitos. Em Vale do Anari, com 10 mil habitantes, tem 8 policiais militares. O ex-governador tem a sua disposição 16 policiais. É uma vergonha. Eles afrontam, abusam, brincam com o povo. Cassol tem policial para passear e vigiar o cachorro da família”, denunciou.

 

Hermínio foi além e comentou que “dizem que ele arrumou inimigo quando era governador e por isso precisa de proteção. Não elegemos ele pra fazer inimizades, mas sim para fazer políticas públicas de interesse da sociedade. Ele deveria ter vergonha, sendo rico, senador e uma pessoa pública. Se ele tivesse dignidade, não usaria mão desse expediente”.

 

Para o petista, “Cassol chega nos lugares todo metido e com a sua arrogância, ainda fica se exibindo, rodeado de seguranças pagos com dinheiro público. Vou apresentar um projeto para acabar com seguranças a partir de Confúcio”. Apesar de criticar Cassol andar com segurança, Hermínio anda acompanhado com um policial, do Departamento de Polícia Legislativa. “Eu tenho somente um que me acompanha e acho necessário”, disse ele, de forma reticente.

 

Sobre a atuação do parlamento, ele disse que não passam de fofocas as insinuações de racha na Assembleia. “Cheguei na Assembleia com o propósito de fazer diferente. Temos nos esforçado e algumas coisas já foram feitas. Na gestão do presidente Valter Araújo (PTB), os deputados tem a sua disposição uma boa estrutura para trabalhar, ma o nosso trabalho, enquanto legisladores, é muito limitado. Qualquer norma, qualquer projeto, tem muitas limitações legais”, lamentou.

 

Sobre o projeto de sua autoria, de acabar com a aposentadoria de ex-governadores, Hermínio Coelho disse que foi mal interpretado. “A lei não poderia retroagir, mas assegura que de agora em diante não haja mais essa farra. É importante para que nos próximos 20 a 30 anos, o Estado deixe de pagar aposentadorias a ex-chefes do Executivo”, acrescentou. As críticas do deputado sobraram até para o governador Confúcio Moura (PMDB). “Acho o governador uma boa pessoa, uma pessoa do bem. Estamos na metade do nono mês do Governo e nada ainda foi feito. É lógico que Confúcio mudou. Ele criou tanta expectativa no povo e na saúde, não fez nada ainda. É inaceitável como um Estado rico, como o nosso, ter um hospital como o João Paulo II”, completou.

 

Coelho disse que Confúcio trouxe a rede Globo, fez discurso, mas nada melhorou. “O João Paulo II só não piorou, porque não tinha como. É muita mentira, só enganam o povo. A população tem que se manifestar. A maioria dos políticos só faz prometer, falar e nada de ação”, observou.

 

O deputado, desafeto do prefeito da capital, Roberto Sobrinho (PT), denunciou que “esse transporte coletivo de Porto Velho é uma humilhação, ao longo de quase 30 anos e a gente aceita tudo quietinho. Eu não vou me calar, vou criticar e denunciar sempre as mazelas. Desde que o prefeito deu o aumento da passagem, na calada da noite, e viajou para a Europa, eu não falo com ele e não pretendo nunca mais falar. Sobrinho mela a rua de piche e faz uma festa. É tanto dinheiro na capital e as coisas não acontecem. Se fossemos um país sério, esse povo tinha que estar na cadeia”

 

Sobre os viadutos, ele declarou que quem parou a obra foi a prefeitura, em julho de 2010. “O absurdo é tanto, que com a obra parada, eles fizeram dois aditivos. Quem ia ganhar a nova licitação, após a suspensão do contrato, era a própria Camter, que era acusada pela prefeitura de abandonar a obra. A nossa cidade é muito mal cuidada, os recursos são mal aplicados. É brincadeira. É absurdo, mas vamos lutar para que eles paguem pela incompetência”, completou.

 

Segundo Hermínio, “eu pareço um leproso dentro do Partido dos Trabalhadores. Não tenho espaço para fazer política. Pra eu ser candidato, bastaria que a maioria me escolhesse. A nossa luta é para ter uma candidatura forte, carregando nas costas um prefeito do quilate do Roberto Sobrinho”.

 

Para o petistas, “o maior erro do PT foi ter deixado Sobrinho a vontade. “Como defender coisas indefensáveis, como o pagamento de horas-máquinas da prefeitura? Aqui eles pagam milhões, sem ter feito nada. A nossa justiça está trabalhando e mais a frente vamos ter a resposta e esse povo pague pelos danos e lambanças que tem feito”, finalizou.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS