MACABRO: Garoto que matou idosa pretendia gravar vídeos esquartejando a mulher

Assassino adolescente também teria arrancado um dos dedos da vítima

MACABRO: Garoto que matou idosa pretendia gravar vídeos esquartejando a mulher

Foto: Divulgação

Tão chocante quanto as imagens que ele gravou em seu celular foram as revelações do adolescente de 15 anos que assumiu ter matado uma idosa na cidade de Cabixi no mês de fevereiros deste ano. Aparentemente com problemas psiquiátricos, o garoto foi ouvido na Polícia Civil de Colorado do Oeste, na presença da mãe, e depois transferido para a Unidade Socioeducativa de Vilhena.
 
Embora o depoimento esteja sendo mantido em sigilo, pessoas próximas a familiares da vítima, que tinha 65 anos, contaram ao site a versão que dizem ter ouvido de policiais que atuam no caso, e que deram detalhes do que o adolescente teria contado.
 
Segundo estas fontes, o assassino passou vários dias rondando a casa da aposentada na zona rural de Cabixi. Na data do ataque, ele esteve duas vezes no local e, na segunda, ao perceber que o filho da mulher, que morava com ela na propriedade, só retornaria mais tarde, resolveu cometer o crime.
 
A anciã estava sentada quando o menor usou uma faca para causar um grande corte em seu pescoço. Quando a mulher caiu, o assassino prosseguiu com a atrocidade, arrancando um dos dedos dela e também aumentou o corte no pescoço, quase separando a cabeça do resto do corpo.
 
Ainda segundo a versão dos entrevistados, o garoto teria dito que, naquele dia, estava disposto a matar alguém, e se não fosse a idosa, teria sido outra pessoa.
 
No depoimento, o menino também teria contado que sua intenção era esquartejar a mulher e mostrar partes do corpo aos colegas de escola. Para parte da população de Cabixi, ainda abalada pela crueldade, jogos violentos de computador, que o menor praticava diariamente, teriam inspirado sua ação macabra, motivada por aparentes transtornos psiquiátricos.
 
Direito ao esquecimento

Em qual desses quatro pré-candidatos você votaria se as eleições fossem hoje?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS