BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

VILHENA: Hemocentro faz apelo por doações de sangue e adota novos horários

Diante da situação, nos dias 12 e 13 de maio, o hemocentro estará aberto das 7h às 18h sem fechar para o almoço

Folha do Sul Online

11 de Maio de 2020 às 15:23

Foto: Divulgação

 

FOLHA DO SUL ONLINE - A pandemia do novo Coronavírus, que tem causado impactos em todo o mundo, mostra também seus reflexos em Vilhena, onde deixou o único hemocentro da região com estoque de sangue baixíssimo, já que os doadores não têm comparecido, e isso causa preocupações aos profissionais de saúde que trabalham no local.

 
Diante da situação, na terça e quarta-feira, 12 e 13 de maio, haverá um horário especial de atendimento aos doadores: nos dois dias, o hemocentro estará aberto das 7h às 18h, sem parar para o horário de almoço. A assistente social Michely Toledo explicou que a unidade de saúde tem tomado todas as medidas de segurança estabelecidas pelo Ministério da Saúde durante esse período que todo o país enfrenta o problema, para evitar a disseminação do COVID-19.
 
“Paralelo a essa pandemia que vivemos, há pessoas que precisam de sangue; precisam de transfusão para continuar vivendo. Nós precisamos de todos os tipos sanguíneos, mas, urgente. Estamos em um estado que nunca estivemos. Os mais urgentes são os tipos O- e O+”, pontuou.
 
Atualmente, o estoque mensal necessário para atender toda a população é de 300 bolsas, mas, essa meta não tem sida atingida. Há pacientes que carecem de transfusão, mas, sem as doações, eles podem ter o quadro de saúde agravado. Vale ressaltar que o Hemocentro Regional de Vilhena é o segundo maior de Rondônia e atende todo o Cone Sul.
 
As condições básicas para ser um doador são: ter acima de 50 kg; ingerir bastante líquido; dormir por 6 horas na noite anterior; não estar fazendo tratamento médico; não ter feito cirurgia recentemente; e não ter conhecimento de nenhuma doença. É importante levar um documento oficial com foto.
 
O Hemocentro de Vilhena fica localizado na avenida Jô Sato, na mesma quadra do Hospital Regional.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS