Construir no Brasil está caro! Mas é possível reduzir os custos?

Especialista alerta para consequências nas obras na tentativa de redução de custos.

Construir no Brasil está caro! Mas é possível reduzir os custos?

Foto: Divulgação

Ter a casa própria é o sonho de muitos brasileiros. E quando chega o momento de realizar pode surgir a dúvida: construir ou comprar pronta? Começar um imóvel do zero sempre foi uma escolha mais viável em relação ao custo. Mas ultimamente, não tem sido tão mais em conta assim. E a pergunta que fica: porque está tão caro construir no Brasil? 
 
Os principais fatores são a macroeconomia. Principalmente num histórico ao longo dos últimos 10 anos. O primeiro ponto que cabe destacar é que a construção civil em meados de 2012 a 2014 sofreu com a recessão global que o país passou da economia. Com isso, freou muito a produção da construção civil. Isso fez com que ao longo desses últimos anos até 2020 muitas das ofertas de produção de móveis e obras como um todo foram freadas. Mas a demanda por edificações novas, habitações, imóveis comerciais, obras de infraestrutura não pararam. Assim, criando um déficit entre oferta e demanda. A demanda continuou e a oferta foi diminuindo, ao ponto de chegar a um desequilíbrio que fez com que os custos de produção aumentassem. 
 
Sem contar, que a pandemia agravou ainda mais. O mercado sofreu um impacto, porque a indústria precisou desacelerar para atender os protocolos de biossegurança, fazendo com que a produção de insumos caísse abruptamente em poucos meses. E toda vez que tem menos insumos no mercado a tendência do valor é aumentar, com isso encarecendo ainda mais os custos da construção.
 
Para Sérgio Botassi, mestre e doutor em engenharia civil e professor e coordenador do curso do IPOG de custo de estruturas e fundações, gerenciamento de obras, obras públicas e edifícios inteligentes afirma que é possível observar, por exemplo, indicadores importantes como INCC - índice nacional da construção civil, onde dados oficiais mostram que em 12 meses a partir até agosto de 2021 o índice já tinha acumulado em 16.68%, demonstrando um crescimento maior que a própria inflação média, o que mostra que a construção civil decolou em termos de inflação em relação à inflação média da economia. “Então esse contexto impactou de forma significativa os custos da produção. Esse desequilíbrio entre oferta e demanda, esse cenário complexo em que vivemos”.
 
Sérgio afirma ainda que outro cenário que influenciou essa situação foi que demanda reprimida, que estava sendo freada em função dessa falta de imóveis nos últimos longos anos acumulados e fosse impactada com a pandemia, há números que mostram que muitos investimentos pela instabilidade do mercado de ações muitos investidores resolveram lastrear seus recursos em investimentos da construção civil. Ao invés de investir em ações de empresas, investidores resolvem migrar para investir em empreendimentos, por exemplo através de LCIS que tendem a dar uma proteção maior nesta modalidade de investimento. Aumentando a demanda fez com que essa relação oferta procura ficasse mais significativa em torno de impacto.
 
Então podemos afirmar que não vale a pena construir? Não! Apesar de tudo, ainda é vantajoso construir. Primeiramente pela questão das linhas de crédito de financiamento para aquisição de imóveis. Esse financiamento aumentou de forma brutal de janeiro a setembro de 2021. Houve um crescimento de 96%, recuperando muito a perda de quedas de financiamentos que estava acontecendo em anos anteriores. Isso mostra um grande vigor do aumento de financiamento mesmo com a alta da taxa de juros. Aliado a isso, nesse cenário recursos da poupança, onde é a maior fonte de recurso para financiamento imobiliário, os valores depositados em poupança cresceram muito nos últimos anos, fazendo com que você tenha uma reserva para garantir o financiamento para os próximos anos. 
 
Outro grande motivo é a taxa de venda de imóveis hoje no Brasil gira em torno de 4%, uma das maiores do mundo. Isso é uma tendência mundial mostrando, portanto que mesmo com a alta dos preços para a produção de imóveis, a taxa de vendas não caiu. O que mostra que está valendo a pena, esses custos são repassados para o consumidor final, mas mesmo assim tem sido uma grande vantagem adquirir imóvel, até mesmo aproveitando a questão do cenário, a pandemia mostrou a relevância de um imóvel residencial, qualidade de vida, as pessoas valorizam ainda mais o seu ambiente. seu imóvel, até porque muitos usaram como home office e perceberam a necessidade de um imóvel adequado. Impulsionando as vendas nesse setor. 
 
Sérgio alerta para a prática de tentar reduzir custos nessa situação, que pode gerar uma série de consequências como qualidade no produto, terceirização não profissional e informalidade. Os custos, é preciso não cair na tentação de reduzir a qualidade dos insumos. Comprando ao invés de produtos de primeira linha um produto inferior, o que inevitavelmente pode impactar no desempenho e durabilidade deste produto futuramente.
Gerando problemas na obra, retrabalho e desperdício. Assim como no pós-obra, acionada a garantia a economia pode ser em vão e um risco e uma perda maior a economia. 
 
Outra tentativa de redução que deve ser bem estudada é optar por terceirizar parte da mão de obra ou serviços.  A terceirização não é uma prática ruim se bem implantada, pode ter uma série de benefícios, desde que sejam contratadas empresas especializadas com experiência em produtividade, com tudo o problema está na terceirização na contratação na empresa de menor valor e não competência, terceirizando às vezes não o melhor, mas o mais barato.
 
A informalidade também pode trazer consequências. A construção civil já possui um alto índice de informalidade com a tendência de tentar reduzir custos e gerar malefícios de cunho social, risco do empreendedor sujeito a sanções trabalhistas. Outro ponto desrespeito às normas, não tem como foco obedecer às boas práticas fazendo com que as práticas executivas dos insumos não sejam voltadas para um melhor desempenho NBR 15575 efeitos que podem ser danosos. 
 
 Apesar da construção do imóvel estar cada vez mais caro é possível observar que ainda é muito vantajoso. Se você está pensando em construir pesquisar por preços é importante, mas que essa busca por baratear não diminua a qualidade dos serviços e produtos, seguindo essas orientações será possível evitar transtornos e consequências negativas.
 
 
IPOG - Instituto de Pós Graduação 
Visite a sede na Av. Rio Madeira, 2759, Embratel, Porto Velho - RO ou www.ipog.edu.br 
Envie um e-mail para portovelho@ipog.edu.br
Instagram: @ipogportovelho
 
Direito ao esquecimento

Quem você acha que será campeão do Brasileirão 2022?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Winning Trading

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS