TRUCULÊNCIA: Vereador de Nova Mamoré denuncia abuso em abordagem da PM

Parlamentar relata abusos e agressões à população e políticos locais durante megaoperação de reintegração de posse de uma área próxima a Nova Mutum Paraná

Na terça-feira (19), o vereador de Nova Mamoré, José Carlos Eletricista (Patriota), divulgou um áudio em redes sociais onde relata truculência em uma abordagem a ele pela Polícia Militar, que está fazendo uma megaoperação de reintegração de posse na área do entorno do distrito de Nova Mutum Paraná, que fica a cerca de 110 quilômetros de Porto Velho.
 
Ele mora próximo a uma dessas áreas de tensão entre PM, posseiros e integrantes da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), que tem o acampamento Tiago dos Santos instalado dentro de uma fazenda invadida da região.
 
“Fui abordado por uma guarnição onde tem uma barreira depois da minha casa. Na revista que eles fizeram no meu carro, a minha mala com meu terno de trabalho, minhas camisas todas passadas, derramaram minhas roupas no chão. Meu sapato que estava engraxado, ficou todo sujo de barro”, disse José Carlos.
 
Ele ainda relatou que houve mais excessos por parte dos policiais militares.
 
“Pediram pra eu virar de costas e fizeram tudo isso. Depois, pegaram minha roupa suja de barro e colocaram na minha mala. Hoje de manhã [na terça, 18] falaram comigo que não ia entrar um quilo de alimento pra dentro da minha casa e nem lá pro assentamento. Então eu peço providências do Ministério Público porquê o direito de ir e vir é constitucional e eu não vou aceitar esse tipo de ação da polícia aqui na região”, desabafou o vereador de Nova Mamoré.
 
 
Vereador José Carlos Eletricista denuncia excessos da PM em abordagem
Tensão segue
 
Outros moradores da região próxima a Nova Mutum também fizeram denúncias de intimidação da parte dos policiais militares, que está invadindo comércios e intimidando os proprietários para não venderem alimentos aos moradores de toda região, independente se são ou não de áreas de conflito agrário. 
 
“Eles falam sempre que haverá um banho de sangue, que vai morrer muita gente aqui e se vocês forem identificados como quem ajuda, também serão penalizados”, disse uma moradora.
 
 
Um adolescente de apenas 14 anos falou que na abordagem que fizeram a ele, foi agredido nas partes genitais e com socos no estômago.
 
“Fiquei com medo de que me matassem. Os policiais chegam encapuzados, armados até os dentes e tratando moradores como bandidos! Eu trabalho na roça, tiro leite de madrugada. Isso não é papel de quem fala que vai proteger a população!”. 
 
Via única
 
Em comunicados oficiais à imprensa, sem chances de questionamentos, a Polícia Militar está informando como está sendo desenrolada a operação na região de Nova Mutum Paraná. 
 
 
Um trecho da nota aponta que “na tarde da terça-feira (19), na ocupação de uma parte da área invadida situada entre as fazendas Norbrasil, Nova Esperança e Boi Sossego, por volta das 17 horas, houve breve contato do comando da operação com os invasores de forma pacífica. Oficiais de Justiça, com parte de sua equipe de segurança, assim como a escolta de logística como ônibus e caminhões foram deslocados para a região, para a retirada dos invasores da área, bem como o transporte de seus pertences”.
Direito ao esquecimento

Você é a favor ou contra o garimpo no Rio Madeira?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública. Vote quantas vezes quiser!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS