RECUPERAÇÃO: Cachorrinho que foi espancado no meio da rua deve receber alta essa semana

Polícia já identificou e interrogou o acusado

RECUPERAÇÃO: Cachorrinho que foi espancado no meio da rua deve receber alta essa semana

Foto: Arquivo pessoal | Spike agora se recupera

O cachorrinho Spike que foi vítima de espancamento no último dia 30, em Porto Velho (RO), já passou por cirurgia e está internado em observação. O cãozinho deve receber alta até a próxima sexta-feira (15).
 
Spike foi agredido por C. J. F, de 35 anos em frente a residência do sujeito, localizada no bairro Tiradentes, zona Leste de Porto Velho. Toda a ação foi registrada por câmeras de segurança. 
 
O cachorrinho teve uma das patas quebradas e a outra fraturada. A cabeça dele também foi afetada e o estado de saúde era crítico. 
 
A vereadora e ativista animal, Márcia Socorrista, foi quem colaborou na recuperação do Spike. Ela levou o cachorrinho para a clínica médica e os procedimentos necessários foram feitos. Agora Spike necessita de adoção.
 
Vereadora Márcia Socorrista e o cachorrinho Spike | Foto: Arquivo pessoal
 
Segundo Márcia, a antiga dona não tem condições de criar o animal e preferiu entregá-lo para adoção. “Quando a gente pegou o animal ele estava com anemia então as condições dela (antiga dona) são bem precárias. Ele vai precisar agora de um acompanhamento porque agora a patinha dele está quebrada né”, declara.
 
Quem quiser adotar o animal pode entrar em contato pelo telefone (69) 9 9203-9271.
 
Polícia identifica agressor
 
A Delegacia do Meio Ambiente instaurou inquérito e já interrogou C. J. F, acusado de espancar o cachorrinho, Spike, no último dia 30. 
 
De acordo com a delegada Janaina Xander, a finalização do inquérito agora depende dos últimos laudos veterinários para enviar ao Ministério Público de Rondônia, que é quem oferece denúncia ao Tribunal de Justiça. 
 
Xander explicou que devido a pena ter aumentado, passando a ser de 2 a 5 anos de prisão, o processo de investigação demanda uma atuação mais aprofundada da polícia. 
 
Anteriormente a pena era de 6 meses a 1 ano e os agressores respondiam em liberdade. Agora a responsabilização é em regime fechado. 
 
Janaina afirmou ainda que o inquérito só foi atendido rapidamente por colaboração da sociedade e do vídeo que mostra a ação de C. J. F.
 
A delegada pediu também que sempre que alguém flagrar estas ações de maus tratos a animais, procure a polícia e denuncie, pois, a responsabilização do agressor só pode ser feita através de denúncia e colaboração como testemunhas e provas materiais. 
Direito ao esquecimento

Quem é o favorito ao título do Brasileirão 2021?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública.

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS