CRISE DO LEITE: Produtores de leite denunciam uso da PM contra o movimento

Eles estão reivindicando melhores preços pelo leite produzido em Rondônia

 

O protesto dos produtores de leite do município de São Francisco do Guaporé, teve momentos de tensão na manhã desta segunda-feira (12), entre eles e a Polícia Militar. Na estrada da linha Seis, policiais militares tentavam fazer com que os produtores desocupassem a via para que fosse escoado para o laticínio, o leite recolhido de algumas propriedades da região.

 

Segundo os produtores que bloqueavam a rodovia, essa produção era a de grandes fazendeiros da região, que recebem preços maiores pelo litro de leite entregue aos laticínios. Eles denunciaram que a Polícia Militar está sendo usada pelas empresas para enfraquecer o movimento e intimidar os participantes.

 

Depois de muita conversa, os produtores de leite, conseguiram impedir a passagem dos caminhões que recolhem o produto nas propriedades e os policiais militares voltaram para cidade.

 

O movimento de paralisação da produção feito pelos produtores de leite, em Rondônia, visa buscar melhores preços para o produto. Segundo os eles, essa reinvindicação por melhores preços começou desde o ano passado, quando os laticínios concordaram em dar um aumento no valor pago aos produtores.

 

 

“No ano passado, pagavam R$ 1,20 por litro, depois, baixaram para R$ 0,70. Fizemos uma greve e subiram para R$ 1,40. Depois de três meses, foi para R$ 1,60, chegando até R$ 2,20. Agora, caiu para R$ 1,20” ,disseram os produtores de São Francisco do Guaporé.

 

 

SEAGRI

 

O grupo conta que devido a essa situação, querem que seja criado um preço referência para todo o Estado. “Não existe o preço ainda, porque o secretário da Seagri, Evandro Pandovani, não fez o cálculo. Faz um ano que esperamos calcularem o preço de referência. Queremos que o Governo de Rondônia faça valer a lei”, finalizaram.

 

 

 

A Secretaria Estadual de Agricultura(Seagri) emitiu uma nota sobre a posição do Governo de Rondônia, em relação a paralisação dos produtores de leite no Estado.

 

Leia o texto:

 

O Governo do Estado de Rondônia, através da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) sabe do descontentamento dos produtores de leite no Estado em relação à queda do preço do produto e desde o início da crise causada pelos laticínios está em campo utilizando todas as ferramentas disponíveis para contribuir com a estabilização do setor.

 

A Seagri ressalta que tem feito sua parte para auxiliar o produtor rural reduzindo o custo operacional de sua produção. Por isso foi criado o Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira do Estado de Rondônia - Proleite, o qual estabelece uma política pública segura de investimentos no setor e apoio ao segmento.

 

Através do Proleite, o Executivo Estadual garante a distribuição de nitrogênio a baixo custo, incentivos tributários, apoio a silagem, distribuição de equipamentos e garantindo transporte de calcário para recuperação de pastagens.

 

Através da Seagri, o Governo de Rondônia continua com as tratativas entre representantes do segmento a fim de se encontrar um denominador comum que possa encerrar o impasse da política de preços que tem gerado a insatisfação do produtor rural.

 

A Seagri está no aguardo da publicação do preço referência do leite, que será apresentado pelo Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite do Estado de Rondônia (Conseleite-RO) até o dia 20 de abril de 2021.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS