PARALISAÇÃO: Funcionários do Banco do Brasil em Rondônia fazem greve nesta sexta, 29

Mobilização é contra o plano que prevê 5 mil demissões e fechamento de centenas de agências e outras unidades do banco

PARALISAÇÃO: Funcionários do Banco do Brasil em Rondônia fazem greve nesta sexta, 29

Foto: Divulgação

Funcionários do Banco do Brasil fazem nesta sexta-feira (29) uma paralisação contra o pacote de reestruturação que a direção do banco pretende aplicar. A mobilização foi discutida e organizada em sindicatos de norte a sul do país. As agências do Banco do Brasil em Rondônia não abrirão para atendimento ao público nesta sexta-feira, pois os funcionários do banco estarão participando da greve de 24 horas em protesto contra a reestruturação anunciada pela direção nacional do BB no dia 11 de janeiro, e que prevê a extinção de milhares de empregos e o fechamento de centenas de agências, escritórios e postos de atendimentos (PA’s) em todo o país.
 
Em Rondônia a greve de 24 horas foi aprovada por 78,43% dos participantes da assembleia extraordinária específica (virtual) realizada pelo Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) na última segunda-feira, 25.
 
Esta foi a forma encontrada pelos bancários do BB em todo o país para protestar contra a reestruturação que traz medidas altamente nocivas para os trabalhadores, suas famílias e também para clientes e toda a população. E, de acordo com o movimento sindical, caso a direção nacional do Banco do Brasil não recue de sua postura intransigente, de não rever importantes pontos deste danoso processo de reestruturação, os trabalhadores poderão decidir por uma greve por tempo indeterminado.
 
Em Rondônia a ameaça de demissões, fechamento de agências, descomissionamento e a extinção da função de caixa já traz inúmeros sofrimentos para os bancários e seus familiares. Além disso, com o desligamento de centenas de trabalhadores e sem nenhum concurso público previsto, o que já era ruim vai ficar ainda pior.
 
“Os clientes serão penalizados, pois com menos funcionários, as filas serão ainda maiores, o atendimento será muito mais demorado e as pessoas agora terão menos agências para ter algum atendimento ou, em algumas localidades, nenhuma. Por isso pedimos a compreensão e o apoio da população neste momento, pois estamos lutando não apenas em defesa dos bancários, mas também das pessoas que, diariamente, tem que suportar horas e horas nas filas num atendimento que já é bastante precário e que vai piorar muito mais”, enfatiza José Pinheiro, presidente do Sindicato.
 
“É hora dos trabalhadores se unirem, pois estamos diante de uma ameaça real de desmonte do Banco do Brasil, ameaça esta que parte de um governo que está fazendo de tudo para enfraquecer as empresas públicas para tentar privatizá-las e vendê-las a preço de banana. Portanto, conclamamos a todos os trabalhadores para participarem desta paralisação, pois o BB é o banco do Brasil, e não do presidente ou do Ministro da Economia”, conclui o dirigente.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS