BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CÂNCER: Sesau está dificultando o aumento nos atendimentos do Hospital de Amor

Essa afirmação foi feita pelo médico Jean Negreiros, que é diretor executivo do Hospital, e ele critica a forma como o Governo de RO trata esse centro de referência em tratamento de câncer

Rondoniaovivo

11 de Novembro de 2020 às 17:09

Atualizada em : 12 de Novembro de 2020 às 10:40

Foto: Divulgação

O diretor executivo do Hospital de Amor de Porto Velho, médico Jean Negreiros, criticou a postura do Governo do Estado de Rondônia, na relação com a entidade que ele representa. Ele foi o entrevistado desta quarta-feira (12), no Programa Conexão Rondoniaovivo(foto), apresentado pelo jornalista Ivan Frazão.
 
Recentemente, o presidente da rede Hospital do Amor, Henrique Prata, convocou uma entrevista coletiva com veículos de comunicação de Rondônia, onde fez graves críticas ao Secretário Estadual de Saúde, Fernando Máximo.  
 
 
Ele acusou o responsável pela Sesau de dificultar a relação entre o Governo de Rondônia e o hospital, que é especializado no tratamento de câncer. O hospital também, através de um convênio com a Assembleia Legislativa de Rondônia, disponibilizou uma ala para tratamento de pacientes com Covid-19, mas que já foi desativada.
 
Jean disse que o hospital tem uma média de 2000 atendimentos diários, mas apesar do volume, o hospital não funciona com a sua capacidade plena, devido à falta de recursos. Essa situação poderia ser mudada e a capacidade de atendimento dobrada se a Sesau tomasse uma simples atitude. 
 
“A cada dia, a cada mês está aumentando a nossa demanda. Estamos precisando aumentar a capacidade nossa, mas só podemos fazer isso com o que os recursos alcançam. Hoje temos um déficit de quase R$ 1 milhão. Temos seis salas cirúrgicas, mas só estamos funcionando com metade delas, por falta de recursos. Podemos dobrar a capacidade do hospital, desde que a Sesau encaminhe um ofício pedindo ao Ministério da Saúde, o aumento de teto do hospital. Isso já foi pactuado em conversa entre o Henrique Prata e o Ministro da Saúde. Eu já enviei seis a oito ofícios ao secretário da Sesau para que ele solicite o aumento de teto. Isso não tem qualquer prejuízo para a secretaria. É uma formalidade, mas que só o Governo do Estado pode fazer junto ao Ministério da Saúde. O problema é apenas um papel. Lamentável”, explicou.
 
Outra informação repassada por Jean, foi de que com o término do convênio para atendimento de pacientes com Covid-19, foram demitidos 130 funcionários. Esses profissionais, se fosse feito o ofício por parte da Sesau e encaminhado ao Ministério da Saúde pedindo o aumento nos recursos, já poderiam ser empregados na expansão do Hospital de Amor, para o tratamento dos pacientes com câncer. 
 
Veja a entrevista: 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS