BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

HOSPITAL DE CAMPANHA: Servidores emergenciais dispensados cobram pagamento de salários

Eles foram dispensados no começo do mês de outubro

Rondoniaovivo - João Paulo Prudêncio

05 de Novembro de 2020 às 15:37

Atualizada em : 06 de Novembro de 2020 às 10:35

Foto: Divulgação

Trabalhadores da área da Saúde que prestaram serviço no Hospital de Campanha da zona Leste de Porto Velho estão cobrando da Secretaria Estadual de Saúde – SESAU, os pagamentos pelos serviços prestados. 
 
De acordo com esses trabalhadores, após o declínio do quadro de internação de pessoas infectadas por COVID-19 a unidade de Saúde emergencial foi fechada e os contratados dispensados, porém, sem receberem seus salários. 
 
“A maioria foi exonerada e não recebeu. Muitos tem aluguéis atrasados e estão passando necessidades. Temos família, filhos, contas e obrigações. Saímos das nossas casas pra ficar de linha de frente”, disse a técnica em enfermagem Bruna Araújo à reportagem. 
 
Os trabalhadores afirmam que já buscaram respostas na SESAU, porém até o momento não receberam nenhum posicionamento sobre o pagamento. 
 
A SESAU
 
A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da SESAU que a maioria dos servidores contratados de forma emergencial trabalharam de três a quatro dias no começo do mês e a folha de pagamento não tem como pagar dias por conta do sistema
 
Eles foram dispensados no começo do mês de outubro.
 
“Eles irão receber os dias trabalhados nas verbas rescisórias, já está sendo feito os cálculos de todos e segue para a SEGEP (Superintendência Estadual de Gestão de Pessoas) secretaria responsável pelo pagamento. Ressaltamos ainda que todos estão cientes de como é feito todos os transmites de recebimento da verba rescisória”, afirmou a assessoria da SESAU. 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

MP obtém liminar para que Energisa forneça energia de qualidade

MP obtém liminar para que Energisa forneça energia de qualidade

O Ministério Público também relata que, conforme informado pelo Procon local, somente em relação ao Município de Ariquemes, a quantidade de reclamações em aberto contra a empresa atingiu o total de 514, no período de 1º de janeiro de 2019 a 14 de novembro do mesmo ano.

23 de Novembro de 2020 às 08:53