BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CORONAVÍRUS: Deputado é expulso de hospital comprado pelo Governo do Estado

Ele fez os vídeos que serão entregues à Comissão de Fiscalização e medidas deverão ser tomadas

TUDO RONDÔNIA

14 de Maio de 2020 às 16:38

Atualizada em : 15 de Maio de 2020 às 09:46

Foto: Divulgação

 

TUDO RONDÔNIA- O deputado estadual Luizinho Goebel (PV) relatou aos colegas parlamentares, membros da Comissão da Assembleia Legislativa, responsáveis por acompanhar o Decreto de Calamidade para o combater a COVID-19, que vistoriou o recém -comprado Hospital Materno Infantil Regina Pacis.

 
Segundo o deputado, ele fez a vistoria no local e constatou que o prédio tem um valor de mercado de no máximo R$ 2 milhões de reais. Mas durante a vistoria, ele acabou sendo expulso do local pelo gerente do estabelecimento.
 
O deputado fez os vídeos que serão entregues à Comissão de Fiscalização e medidas deverão ser tomadas.
 
Após a vistoria de Goebel, o presidente da CAFGC, deputado estadual Ezequiel Neiva (PTB), presidente, e Chiquinho da Emater (PSB), também foram ao local, mas preferiram não relatar o que constataram no hospital.
 
O deputado estadual Jair Montes (AVANTE), membro da Comissão de Fiscalização, encaminhou ofício ao secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo, pedindo todas as informações sobre a compra suspeita de um hospital sem nenhuma estrutura para atender paciente de Covid-19.
Confira abaixo as medidas de providências do deputado estadual Jair Montes:
 
Confira abaixo os questionamentos:
 
OFÍCIO N.º 85/GDJM/2020
 
Porto Velho, 12 de maio de 2020.
 
A Sua Excelência o Senhor FERNANDO RODRIGUES MÁXIMO
 
Secretário Estadual de Saúde
 
Av. Farquar, 2986 - Pedrinhas 76801-470 – Porto Velho - RO
 
ASSUNTO: Informações detalhadas referentes à compra da Maternidade Regina Pacis.
 
Senhor Secretário, Considerando as declarações em coletiva à imprensa de que o Governo Estadual comprou o Centro Materno Infantil Regina Pacis, situado no município de Porto Velho, criando uma grande repercussão negativa na opinião pública mediante o valor anunciado;
 
Considerando as diversas reportagens, matérias jornalistas de repercussão negativa ocorridas na imprensa estadual relacionadas à compra em voga, nos propusemos a buscar informações detalhadas para prestar esclarecimentos satisfatórios à população rondoniense.
 
Dessa forma, solicitamos a Vossa Excelência que nos que nos esclareça as seguintes informações:
 
1. Qual o real motivo para a aquisição do Centro Materno Infantil Regina Pacis –, pela Secretaria de Estado de Saúde de Rondônia? De quem partiu a proposta?
 
2. Apresente relatório detalhado de avalição técnica das condições físicas do imóvel comprado;
 
3. Apresente relatório técnico detalhado de avaliação da mobília e dos equipamentos caso tenham sido também adquiridos conjuntamente com o imóvel;
 
4. Apresente laudos de avaliação de mercado do valor do imóvel, mobília e equipamentos médicos;
 
5. Qual o valor real da compra e a forma de pagamento? Apresente contrato de aquisição, nota de emprenho e origens dos recursos;
 
6. Informe a quantidade e a funcionalidade detalhadamente dos leitos hospitalares;
7. Apresente relatório com os equipamentos hospitalares caso tenham sido adquiridos conjuntamente com o imóvel, informando a data de fabricação e tempo de uso;
8. Na formulação da compra, informe se houve consulta à Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE);
 
Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE); e ao Ministério Público do Estado de Rondônia (MPE) – apresentar documentação;
9. Apresente as plantas de engenharia e arquitetura do imóvel com a respectiva descrição do imóvel – baixa, elétrica, hidráulica, segurança e de impacto de vizinhança;
10.Informe como foi negociado o ativo, passivo e questões trabalhistas da empresa de serviço hospitalar em questão, adquirida pelo Governo do Estado.
Na certeza de contar com seus esclarecimentos, ressaltamos que nosso Gabinete está à disposição dessa Secretaria para quaisquer dúvidas.
Atenciosamente,
 
JAIR MONTES Deputado Estadual
 AVANTE
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS