ESPAÇO ABERTO: Feriado sem carnaval, mas com pandemia, intolerância e desrespeito de sobra

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Feriado sem carnaval, mas com pandemia, intolerância e desrespeito de sobra

Foto: Divulgação

 

FERIADO

 

Pela primeira vez em 54 anos eu presencio um feriado de carnaval sem carnaval. Este ano não tem seio à mostra na Sapucaí e nem glúteo sacolejando de um lado pra outro. Tudo bem escancarado, pra todo mundo ver e se “divertir”.
 
BÍBLICO
 
Alguns religiosos dizem que isso estava escrito, outros afirmam que é um aviso, tem gente que garante que o Fim do Mundo está próximo. Independente da crença, o momento exige cuidado e prudência.
 
VÍTIMAS
 
A triste realidade da falta de cautela e cuidado consigo mesmo estão muito presentes na vida de cada um. E é cada um mesmo. Da ponta da Ásia ao extremo da América do Sul, nenhum humano está livre de ser infectado. A dor diária está aí, não escolhe vítimas e é de conhecimento geral.
 
MUDANÇA
 
Embora esteja muito claro que é preciso agir diferente, seja nos hábitos ou trato com as pessoas, algumas coisas permanecem e revelam que é preciso muito mais que uma pandemia para fazer com que haja, pelo menos, uma reflexão.
 
BANALIDADE
 
A televisão, por exemplo, continua investindo em futilidade como forma de atração e o pior é que continua achando empresas que gastam com isso. Gente que paga para expor uma marca, não importando o conteúdo onde sua empresa esteja sendo associada. 
 
QUANTO PIOR MELHOR
 
A falta de respeito, caráter e ausência de qualquer ensinamento educativo ou cristão são “destaques” que geram polêmica, controvérsias e agradam quem continua achando que a exibição do ódio entre as pessoas, soberba e falta de amor próprio sempre terão uma plateia para aplaudir. E tem.
 
DO MESMO JEITO
 
Por maior que seja a desgraça, a ganancia, o preconceito e a maldade  não vão mudar. Dizem que, na verdade, é cada um por si e Deus por todos. Acho que até Deus, apesar de sua infinita bondade, anda um pouco cansado com tudo que tem visto.
 
LIBERADO
 
Novo decreto do governo autoriza entrada em restaurantes até às 21 horas e o funcionamento até às 22 horas, sendo permitida, após este horário, somente entregas por meio de delivery. A venda de bebidas alcoólicas está proibida em qualquer horário.
 
DESESPERO
 
Indígenas da região de Extrema estão desde sexta-feira pedindo vaga em UTI na capital. Várias pessoas estariam infectadas com coronavírus.
 
SEM RECURSO
 
O distrito de Extrema está localizado a mais de 300 km de Porto Velho e o atendimento que costuma ser precário na saúde agora virou motivo de pavor.
 
LEITOS
 
Não existem leitos de UTI na localidade e quem dá entrada no posto de saúde com suspeita de coronavírus sofre duas vezes. Uma pela doença e outra pela incerteza.
 
ANCIÃO
 
O índio mais velho da comunidade já está há dois dias no oxigênio. O Estado teria informado que só pode fazer a remoção quando liberar vaga na capital.
 
INICIAL
 
Segundo a Secretária Municipal de Saúde, Eliana Pasinini, a UBS de Extrema faz o primeiro atendimento com exames, medicação e internação, se for o caso. O problema é que não há leito de UTI.
 
TRIAGEM
 
Eliana diz também que é o Estado que regula as referências e providencia internações. O problema é que a fila está grande para internações e não há leitos disponíveis em nenhum hospital.
 
AJUDA
 
O Secretário Estadual de Saúde, Fernando Máximo, reforçou o que disse Pasini, que os leitos de UTI na capital estão com lotação máxima. Fernando Máximo prometeu tentar providenciar a remoção do índio idoso o mais rápido possível.
 
TUDO PODE
 
 
Como não existe uma única placa sequer no Espaço Alternativo proibindo trânsito pesado no local, não dá nem para criticar o motorista do caminhão cegonha. É óbvio que o sujeito é completamente sem noção ao escolher o lugar para dar uma voltinha.
 
TRAJETO
 
Ele foi da rotatória da Imigrantes até o aeroporto e retornou “de boa”. Sem policiamento, como aconteceu no fim da tarde de quinta-feira, o passeio fica liberado. Até mesmo para uma máquina agrícola, se for o caso.
 
FICA NO CARGO
 
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou improcedente uma ação de investigação judicial eleitoral que buscava a cassação do mandato do deputado federal Coronel Chrisóstomo. A sentença foi divulgada nessa sexta-feira (12).
 
COTA
 
O processo queria impugnar a cota de gênero apresentada pelo PSL nas eleições de 2018. O autor da ação, candidato derrotado Pastor Valadares, alegou que ocorreu fraude na formação da chapa do Coronel Chrisóstomo relativa às cotas de gênero.
 
DUAS INSTÂNCIAS
 
A ação foi rejeitada duas vezes no Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, em 2019 e 2020. Agora, o TSE também certificou a legalidade da chapa do Coronel Chrisóstomo.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

J G Dalmeida

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS