BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

ESPAÇO ABERTO: Assaí atacadista injeta R$ 50 milhões na economia e gera emprego e renda

Confira a coluna

RONDONIAOVIVO - CÍCERO MOURA

18 de Dezembro de 2019 às 08:40

Foto: Divulgação


ESPALHAFATOSO

 

Eram 3h45 da manhã de terça-feira (17) quando 03 carros do Sistem Prisional Federal interromperam o silêncio da madrugada. Com sirenes e giroflex ligados os veículos entram na ala privada do Aeroporto Internacional de Rondônia. Uma fonte me disse que alguns presos estavam sendo transferidos do Presídio Federal de Porto Velho para outros estados. Deduzo que tais presos não sejam de alta periculosidade já que os agentes envolvidos na operação não fizeram questão nenhuma em ser discretos. 

 

 

SEM GENTE

 

Falando em aeroporto de Porto Velho, apenas 03 funcionários da Gol tiveram que se virar nos 30 para atender a demanda de um Boeing inteiro na madrugada de ontem. Um funcionário da companhia me disse que o trabalho está sendo feito com escala reduzida. Houve diminuição do quadro de pessoal e o serviço dobrou para os que ficaram.

 

 


47 MILHÕES NA ECONOMIA

 

Primeira unidade da rede Assaí  no Estado gerou mais de 600 empregos diretos e indiretos. O grupo investiu quase 50 milhões de reais na construção da loja que terá 6 mil e 200 metros quadrados. A Inauguração acontece neste sábado, 21 de dezembro.

 

 

MAIS DE 160 LOJAS

 

A nova loja do Assaí será a de número 165ª no País consolidando cada vez mais uma marca que passa a estar presente em 20 estados, além do Distrito Federal. 

 

 

TAMBÉM NO ACRE

 

Para o próximo ano, dando continuidade ao plano de estenção para a Região Norte, o Assaí já planeja a abertura de sua primeira unidade no Acre, em Rio Branco.

 

 

SATISFAÇÃO

 

Durante entrevista em São Paulo Belmiro Gomes, presidente do Assaí Atacadista destacou:


Temos certeza que iremos contribuir para o crescimento do comércio local e o abastecimento das famílias com essa abertura, repetindo o sucesso da rede em todo o País”.

 

 

ANÁLISE

 

Para implantação da primeira loja da bandeira em território rondoniense, a empresa realizou uma série de estudos que consideraram a economia local, muito impulsionada pelo crescimento dos setores de comércio, indústria e do agronegócio, em especial a criação de gado de corte e leiteiro.

 

 

 

 

 

CRESCIMENTO


No último ano, Porto Velho recebeu mais de 5 mil empresas, com geração de 30 mil novos empregos. Dados da Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO), apontam que o Estado possui hoje a maior taxa de ocupação da população economicamente ativa da região Norte (94,6%) e a segunda menor taxa de desemprego do país.

 

 

ESTOQUE

 

A unidade Assaí em Porto Velho deverá ter mais de sete mil produtos, entre alimentos, bebidas, itens de higiene pessoal e limpeza, de bazar, linha automotiva e pet, além de descartáveis e embalagens, de grandes marcas nacionais e importadas.

 


A LEI É CLARA

 

Na prática, Eduardo Bolsonaro e mais 25 deputados do PSL pediram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para serem autorizados a ignorar a lei que impede a saída do partido sem qualquer punição. 

 

 

 

 

 

OTIMISMO NA INDUSTRIA

 

O otimismo impera na Confederação Nacional da Indústria e a previsão é de alta de 2,8% do PIB industrial no ano que vem, decorrente da alta de 6,5% do investimento no setor, segundo seu estudo conjuntural. 

 

 

FOI AUTORIZADO

 

O Aliança pelo Brasil recebeu nesta terça-feira (17) autorização do TSE para iniciar o recolhimento de assinaturas destinadas à formação do Partido. Bolsonaro já prepara reunião com suas principais lideranças políticas para definir se o partido entra ou não na disputa eleitoral do ano que vem.

 

 

EM RONDÔNIA

 

Aqui no estado, o ex-candidato ao senado pelo PSL, Jaime Bagatolli, é quem deve ser o principal articular de candidaturas do Aliança, tanto para prefeituras como câmaras de vereadores.

 

 

PROTESTO POR REGALIAS NA ZONA FRANCA DE MANAUS

 

Bombaram na internet as informações das tentativas de pressão da Coca-Cola e Ambev para continuidade das regalias de benefícios fiscais concedidos pelo governo na Zona Franca de Manaus. Internautas imploram para que o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, não cedam ao lobby das multinacionais.O presidente da Afrebras (Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil), Fernando Rodrigues de Bairros, alerta para a atitude do governo de atender apenas às demandas das grandes empresas.

 

 

REAÇÃO

 

Os internautas reagiram às reportagens publicadas pelo Portal de Bebidas Brasileiras, informando que os presidentes da Coca-Cola no Brasil, Henrique Braun, e da Ambev, Jean Jereissati, articularam uma dobradinha de lobby. No intervalo de sete dias, foram realizadas duas reuniões com Guedes e com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Jorge da Costa, em Brasília.

 

 

TERMINA EM 31 DE DEZEMBRO

 

Até o dia 31 de dezembro, vale o Decreto 9.897/2019, que ampliou para 10% o benefício fiscal em IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) concedido a concentrados de refrigerantes. A repercussão na internet tem ocorrido na página da Afrebras no Facebook.

 

 

BRIGA DE FAMÍLIA DERRUBOU PRESIDENTE DA ODEBRECHT

 

A holding que controla o Grupo Odebrecht, a Kieppe, destituiu o presidente Luciano Guidolin e nomeou Ruy Sampaio para o cargo.
Há forte briga familiar, protagonizada por Marcelo, o filho, e Emílio, o pai. O Grupo Odebrecht tem dívidas de R$ 55 bilhões e busca reestruturá-la.

 

 

Mande suas sugestões de pauta, fotos, denúncias ou reclamações para espacoaberto@rondoniaovivo.com.

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS