SAIBA MAIS: Candidata é alvo de operação da PF contra crimes eleitorais

PF investiga a prática ilegal de compra de votos em Rio Branco (AC), bem como o abuso do poder econômico e político durante as eleições

SAIBA MAIS: Candidata é alvo de operação da PF contra crimes eleitorais

Foto: Divulgação

A candidata a deputada federal Lanna Vaz (PSDB) foi alvo de uma operação deflagrada pela Polícia Federal na quarta-feira (28) contra crimes eleitorais no Acre.

 

As operações, que ocorreram em conjunto com o Ministério Público Eleitoral, receberam o nome de “Comitê Violeta” e “Algibeira”. Em nota, o PSDB afirmou que “respeita e confia na justiça e nos órgãos de investigação, que cumprem sua função de apurar quaisquer denúncias nesse período eleitoral, garantindo a transparência e lisura do processo”. (Veja nota na íntegra abaixo)

 

No caso de Lanna Vaz, a PF investiga a prática ilegal de compra de votos, bem como o abuso do poder econômico e político durante as eleições. Na operação Comitê Violeta, a polícia cumpriu três mandados judiciais de busca e apreensão em Rio Branco contra a candidata e partidários.

 

Comitê Violeta

 

Durante as investigações da operação Comitê Violeta, que tiveram início em setembro, foi possível identificar que um candidato às eleições estabeleceu estreito laço com indivíduos pertencentes a facção criminosa atuante com a finalidade de criar uma rede de proteção, que foi utilizada da maneira mais variada, principalmente com a possível compra de votos.
 

Segundo a PF, os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral, com pena prevista de até quatro anos de reclusão, e falsidade ideológica com até cinco anos de prisão, os dois delitos do Código Eleitoral.


A investigação foi chamada de “Comitê Violeta” por fazer alusão a principal cor utilizada pela candidata durante as campanhas eleitorais.

 

As investigações, que tiveram início em setembro, identificaram a presença de operadores de dinheiro, que, no período pré-eleitoral, guardavam quantias em espécie em determinado “bunker”, com a finalidade de, posteriormente, dar suporte a eventuais candidatos e campanhas políticas.

 

“Foi possível constatar no decorrer das investigações que indivíduos armazenavam altas quantias em seus bolsos e deixavam o local, inúmeras vezes ao dia, com volumes em suas roupas, em razão das grandes quantias em espécie que portavam”, diz a nota da PF.

 

Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral e falsidade ideológica, ambos do Código Eleitoral, assim como lavagem de dinheiro, que somados poderão resultar em até 20 anos de prisão.

 

O codinome empregado na operação faz referência ao método mais utilizado pelos investigados na tentativa de retirar de forma discreta os recursos em espécie armazenados no imóvel alvo de buscas.

 

Nota do Partido da Social Democracia Brasileira

 

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) vem a público esclarecer que respeita e confia na justiça e nos órgãos de investigação, que cumprem sua função de apurar quaisquer denúncias nesse período eleitoral, garantindo a transparência e lisura do processo.

 

O partido presta solidariedade à candidata Lanna Vaz pela violência política de alguns órgãos de imprensa, descomprometidos em noticiar a verdade, que usam da espetacularização midiática para negar a adversários o direito à presunção de inocência e que se valem da desinformação para alcançar a comoção pública.

 

Confiamos no papel da justiça e que a verdade será, brevemente, restabelecida. E, em que pese nosso respeito à justiça, cabe-nos esperar por ela, sem jamais precipitar qualquer julgamento, apontamento e/ou condenação

 

MANOEL PEDRO DE SOUZA GOMES

Presidente do PSDB/AC

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS