BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AUXÍLIO EMERGENCIAL: 'Programa Mesa Farta é garantia de que ninguém vai passar fome', diz Breno Mendes

Candidato a prefeito de Porto Velho, Breno Mendes irá reservar 1% do orçamento municipal para garantir os pagamentos

ASSESSORIA

09 de Novembro de 2020 às 16:15

Foto: Assessoria

O candidato a prefeito de Porto Velho, Breno Mendes, conhecido como Fiscal do Povo (Avante) nesta última semana de primeiro turno das eleições intensificou as visitas aos bairros da Zona Leste, Sul, região Norte, Central e também comunidades ribeirinhas, além de suas bases sempre conversando e reafirmando suas propostas e seu apoio às diversas categorias como, por exemplo, os vigilantes, taxistas, mototaxistas, motoristas de aplicativo e motorista dos táxis compartilhados. 
 
Breno, que é servidor público de carreira, também falou novamente sobre o seu compromisso com os servidores públicos e defendeu bandeiras de valorização das categorias, salários dignos e ambientes de trabalho estruturados.
 
Em visita a moradores da Zona Sul da capital, Breno Mendes falou também, sobre o programa Mesa Farta. Ele explicou que o programa é um auxílio emergencial municipal idealizado por ele. “O Programa Mesa Farta é a garantia de que ninguém vai passar fome em uma capital tão rica como a nossa”, diz.
 
 
O trabalhador informal, desempregados e famílias de baixa renda serão beneficiados por este projeto. Vamos reservar 1% do orçamento do município para criar o Fundo Municipal de Combate à Pobreza, o qual irá subsidiar o Mesa Farta”, explicou o candidato Breno Mendes.
 
O Mesa Farta é um programa semelhante ao criado pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, e também pelo governador Marcos Rocha (o auxílio Amparo) voltado para garantir a renda de quem está desempregado em consequência dessa crise mundial na saúde e na economia.
 
E o micro, pequeno e médio empreendedor também serão beneficiados, pela primeira vez na história de Porto Velho. A prefeitura vai subsidiar R$ 15 milhões para realizar empréstimos de R$ 300 a R$ 30 mil para formalizar quem quer investir na cidade. Isso é geração de oportunidade e renda. Chega de burocracia, do empreendedor ter que dar garantia para receber um empréstimo. Assim garantiremos a retomada da economia da nossa capital. Eu faço uma campanha do povo para o povo, para você que passa por essa triste situação”, arrematou.
 
Texto: Da assessoria
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS