BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CANDIDATO A PREFEITO: Porto Velho é exemplo de austeridade na pandemia, relembra Hildon Chaves

Trabalho desenvolvido durante o mandato está sendo mostrado ao eleitor

ASSESSORIA

19 de Outubro de 2020 às 08:53

Atualizada em : 19 de Outubro de 2020 às 11:54

Foto: Divulgação

Com tantas realizações para serem mostradas em um curto tempo de programa eleitoral, o prefeito Hildon Chaves (PSDB), que concorre à reeleição, dedicou seu domingo para alinhar com a sua equipe de produção as ações da gestão para que a população tenha o máximo de informação necessária sobre o trabalho desenvolvido em seu mandato.
 
“Tivemos uma gestão satisfatória, contudo sabemos que muito ainda precisa ser feito. Foi necessário algum tempo para arrumar a casa e então começar o nosso trabalho. Agora temos condições de atender às demandas que ainda estão desagradando”, esclareceu.
 
Segundo o prefeito, entre as reclamações mais corriqueiras está a saúde pública do município. “A saúde pública no Brasil está em situação muito difícil e enfrentamos problemas diários para mudar esse cenário. Contudo, mesmo diante de uma pandemia, onde vimos por todo o Brasil escândalos de prefeitos e governadores presos ou alvos de busca e apreensão por suspeita de desvio de recurso no combate à pandemia, Porto Velho foi exemplo de austeridade. Nossa capital aparece na quinta colocação entre as cidades do país que tiveram a maior transparência no ranking de enfrentamento à covid-19”, afirmou.
 
Hildon Chaves apontou, também, que durante o período mais crítico da pandemia foi criado um call center composto por médicos de plantão 24 horas para atender a população, tirando dúvidas e esclarecendo sobre a melhor forma de condutas que cada indivíduo deve realizar.
 
“Nossa primeira intenção foi reduzir o trânsito de pessoas nas unidades básicas e unidades de pronto atendimento e evitar a disseminação da doença. Entre abril e agosto realizamos o atendimento de 96.935 mil pessoas”, pontuou.
 
Segundo Hildon Chaves, após a pandemia o serviço de call center será remodelado para garantir melhorias nos atendimentos. “Com base nos dados de atendimento realizados e com a comprovação da eficácia do serviço constatamos que ele deve ser permanente. O sistema está sendo muito elogiado e vamos precisar fazer algumas adaptações para garantir que o agendamento de consultas seja feito em tempo hábil”, disse.
 
Por fim, Hildon Chaves afirmou que um dos motivos para ter colocado seu nome à disposição da população de Porto Velho para administrar a capital por mais quatro anos foi o receio devido às dificuldades que serão enfrentadas no período pós pandemia.
 
“Eu tenho defendido a tese de que em qualquer município do Brasil que tiver o prefeito apto a reeleição, ele tem a obrigação de colocar o seu nome à disposição da população, porque administrar um município no momento das vacas gordas é uma coisa, agora administrar um município em um período de recessão ou de uma depressão é outra totalmente diferente. A conta da covid, a conta da desaceleração vai chegar a partir do próximo ano e se tem alguém que tem condições de conduzir esse grande barco chamado de Porto Velho e quem já está com a casa organizada”, finalizou.
 
Texto: Da assessoria
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS