BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

NO MURO: Quem Marcos Rocha vai apoiar nas eleições, o líder ou vice-líder do governo?

Definição do nome de Eyder Brasil para disputar prefeitura obriga o governador Marcos Rocha a mostrar para Rondônia que rumo político ele terá na eleição.

Rondoniaovivo

12 de Setembro de 2020 às 11:25

Atualizada em : 12 de Setembro de 2020 às 11:45

Foto: Divulgação

O governador Marcos Rocha, sem partido, viu o PSL escolher o nome do deputado estadual , Eyder Brasil, como candidato do partido para disputar a prefeitura. Eyder é Líder do Governo na Assembleia Legislativa, e é justamente por isso que a população terá a chance de conhecer o viés político do Governador. Acontece que o Avante confirmou o nome do advogado Breno Mendes como candidato do partido à prefeitura. O Avante tem como presidente estadual o deputado Jair Montes, que é Vice-Líder do Governo na Assembleia, e, curiosamente, o maior articulador do Governo junto aos deputados. Diferente do deputado Eyder Brasil, que faz uma articulação mais reservada e ainda não tem a experiência política que sobra em Jair. 
 
Vale ressaltar também, que Breno Mendes tem total apoio de Jair Montes justamente por estar envolvido em questões que interessam diretamente ao povo, como tem sido, por exemplo, as rusgas referentes aos valores de contas de luz.
 
Também não se pode deixar de lado o histórico apoio de gestores que tem a caneta na mão, como é o caso de Marcos Rocha, aos seus candidatos mais próximos. A lógica diz que Eyder seria o nome preferencial do Governador, mas o problema é que em política não existe lógica. 
 
A questão certa é que o Governador não poderá se aliar a dois candidatos na capital, a questão incerta é quem ele vai abraçar para a foto.
 
Ao que parece o Governador tem que se posicionar o quanto antes, até mesmo para que o candidato que terá seu apoio defina estratégias de como usar isso. 
Outra questão importante para o governador Marcos Rocha é que ele já está quase na metade de sua gestão e se tem pretensões para reeleição em 2022, apoiar um candidato que eventualmente venha a ganhar o pleito seria uma grande demonstração de força e poderia lhe trazer muitos dividendos políticos. Marcos Rocha sabe que na próxima eleição a força da onda Bolsonaro será bem mais branda e caberá aos gestores competentes e bem afinados com aliados a possiblidade de reconquistar o cargo.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS