INCENTIVO: Centro Cultural e de Documentação Histórica do TJRO abre as portas para a classe artística

Em comemoração ao primeiro aniversário, durante todo o mês, espaço terá programação especial

INCENTIVO: Centro Cultural e de Documentação Histórica do TJRO abre as portas para a classe artística

Foto: Divulgação

Localizado no centro da cidade, o Centro Cultural e de Documentação Histórica do TJRO, o CCDH, comemora este mês o primeiro aniversário no novo espaço, com uma programação especial iniciada na última sexta-feira, 7. O evento, aberto ao público, contou com a participação da classe artística. Criado com o intuito de preservar a memória do Judiciário do Estado, o Centro está aberto à visitação o ano inteiro e disponível para que artistas possam expor suas obras.

 

A performance do artista Botôto foi uma das atrações que marcaram o início das comemorações. Após a apresentação com interação do público, Botôto também abriu a exposição de suas obras e fez a entrega de artes para o acervo da instituição. O ator agradeceu a oportunidade: “Sem políticas públicas não somos nada”, exaltou.

 

Botôto recebeu das mãos do diretor da Escola da Magistratura de Rondônia, Emeron, desembargador Raduan Miguel Filho, o certificado de exposição no espaço. Com o ato simbólico, o desembargador homenageou a classe artística. “O CCDH já faz parte do circuito cultural, turístico e histórico de Porto Velho, e o espaço está de portas abertas para todos os artistas”, anunciou o diretor.

 

A cerimônia também teve apresentação musical, com o servidor do TJRO, Wagner Santos, que tocou grandes sucessos da música popular brasileira em clarinete.

 

  Programação

 

A programação segue esta semana com novas apresentações. No dia 14 de outubro haverá a apresentação de um grupo de cordelistas, que recitará a sua arte. Por fim, no dia 21, será exibida a cena teatral “Esperança Garcia”, inspirada na mulher negra escravizada que é considerada a primeira mulher advogada do Piauí, no século XVIII. Em ambas as datas, após as apresentações, os artistas realizarão um bate-papo com o público. Artistas, pesquisadores, estudantes, historiadores e todas as pessoas interessadas em realizar atividades ligadas à cultura e/ou memória, além de participar de toda a programação, podem propor atividades artístico-culturais, projetos de pesquisa e extensão e outros, a serem desenvolvidos no CCDH.

 

No local estão presentes, também, as fotografias que fazem parte da narrativa da criação do Estado e municípios de Rondônia. A exposição permanente “Sete Samurais” tem fotografias, documentos, mobiliários e outros artigos do acervo do Poder Judiciário. O horário de funcionamento do local é das 10h às 17h.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS