BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Funarte oferece exposição virtual de Antonio Peticov neste sábado

exposição foi planejada especialmente para o ambiente virtual

Rondoniaovivo - edição

11 de Dezembro de 2020 às 08:46

Foto: Itaú cultural

Neste sábado,12, tem a exposição virtual Obras Clássicas Revisitadas, do artista plástico paulista Antonio Peticov. O evento faz parte do ConectArte 2020 Festival.  A sessão será exibida online, de forma gratuita, pelo canal da Funarte no YouTube, às 21h.

 

A abertura da exposição virtual  será acompanhada de um vernissage diretamente do atelier de Peticov.

 

A exposição foi  planejada especialmente para o ambiente virtual, devido às restrições impostas pela pandemia, a mostra aborda percursos históricos, propondo um vasto diálogo com a História da Arte.

 

Antonio Peticov faz uma releitura de obras de artistas consagrados — entre eles Caravaggio, Velázquez, Rembrandt, Leonardo da Vinci, Pablo Picasso e Max Ernst —, em uma proposta grandiosa e de profundo conhecimento e compromisso com o repertório envolvido.

 

No vídeo, produzido pela equipe do artista, Peticov oferece uma aula sobre cada obra dele, abordando os conceitos com leveza.

 

Sobre Peticov

 

Nascido em Assis, interior de São Paulo, Antonio Peticov é pintor, desenhista, escultor e gravurista. Sua produção também inclui instalações, como Scala Cromatica (1983), na New York Art Exp (EUA), ou Bosque Natura (1992), em São Paulo.

 

Seu esforço de integração do trabalho artístico à natureza é nítido, como na obra Aiuruoca (1988). Em 1989, Peticov participou da 20ª Bienal de São Paulo, com o projeto Natura-Rio Pinheiros, que previa a plantação de variadas espécies de árvores. Mas outros aspectos são centrais em sua poética, especialmente o diálogo constante com a história da arte.

 

Um de seus trabalhos mais conhecidos é o mural Momento Antropofágico, com Oswald de Andrade (1990), realizado na estação República do metrô de São Paulo, em homenagem ao centenário de nascimento do escritor modernista. Nessa e em outras obras, Peticov explora a luz e o espectro de cores. Desse recurso, resulta um universo simbólico próprio, muitas vezes onírico; e com cores intensas e vibrantes.

 

Peticov também trabalha frequentemente com séries temáticas, como Alice, a partir das personagens de Lewis Carroll, ou Mesas de Picasso, em homenagem ao mestre espanhol.

 

 O trabalho cromático também tem uma função importante nas esculturas do artista. Metrópolis I e II são torres construídas com lápis de cor, sendo cada andar de uma tonalidade diferente. Esses trabalhos são, ainda, exemplos da utilização de objetos fora de contexto, inserindo Peticov na linhagem de Marcel Duchamp e de outros nomes das vanguardas do século XX.

 

Porém, o artista também segue princípios clássicos, tais como as regras de proporção, mencionadas explicitamente nas obras Fibonacci’s Small Monument e Desenvolvimento da Seção Áurea.

 

Fonte: FUNARTE

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS