BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

EM CASA: Acervos online da USP ajudam a pensar sobre o descobrimento do Brasil

Videoaulas, livros e textos disponíveis em acervos on-line da Universidade tratam da chegada de Pedro Álvares Cabral e dos antecedentes dessa data

Jornal da USP

23 de Abril de 2020 às 09:17

Atualizada em : 23 de Abril de 2020 às 09:18

Foto: Divulgação

 Os materiais a seguir mostram desde o pré-cabralino até o processo de colonização sob diferentes perspectivas.

 

Brasil antes dos portugueses

 

Buscando entender um pouco mais sobre os primeiros povos que habitaram o País, a produção do Canal USP mostra aonde estão enterrados os primeiros brasileiros e os estudos a partir deles. Com o vídeo, vemos que a origem do Brasil é muito anterior à chegada das caravelas portuguesas. Além disso, pouco se sabe sobre os povos que viveram na porção de terra, antes da chegada dos europeus em 22 de abril de 1500, a qual depois viria a ser chamada de Brasil. Com a descoberta da Lapa do Santo, na cidade de Lagoa Santa-MG, em 2011, uma parte dessa história começou a ser desvendada. Mais de 50 esqueletos de 8 a 11 mil anos foram encontrados lá.

 

Videoaulas disponíveis no Canal USP abordam a América antes da chegada dos europeus com o professor João Paulo Garrido Pimenta, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). O docente apresenta as questões em torno da visão de “descoberta” durante a chegada dos colonizadores e também sobre a concepção de “américa indígena”. As aulas estão divididas em três partes:

 

A vinda dos portugueses

 

A vinda dos portugueses e o caráter expansionista europeu, além da busca por novas rotas às índias, são relatadas no texto “O descobrimento do Brasil: suas primeiras explorações e negociações diplomáticas a que deu origem” de Manoel de Oliveira Lima, disponibilizado no acervo da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin. O escrito foi publicado entre o final do século XIX e início do século XX, e traz um panorama do país durante os anos de 1500.

Cliquei Aqui

 

O “descobrimento” do Brasil

 

O número 61 da Revista de História, produzida pelo Departamento de História da FFLCH, destaca o texto de Thomaz Oscar Marcondes de Souza chamado “A carta de Pero Vaz de Caminha e o descobrimento casual do Brasil”. O texto, escrito em 1965, enfatiza a casualidade e o quão inesperado foi a descoberta dessa terra, ainda desconhecida, a partir da análise da carta de Pero Vaz de Caminha, destinada à corte portuguesa.

Clique Aqui

 

Portugueses na “nova terra”

 

Na edição número 30 da Revista USP, intitulada “Dossiê Brasil dos Viajantes”, um dos destaques é o texto A propósito d’o Brasil dos viajantes, que contém análises iconográficas do período. A Revista está disponível no acervo da Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica. Na pintura ao lado, por exemplo, a autora enfatiza a construção narrativa do índio temente a Deus e seguidor da fé cristã. Clique Aqui

 

Relatando os acontecimentos do novo território, desde o início do processo de colonização até o século XIX, o livro “História do Brazil” de Robert Southey traz sua ótica sobre esse período. O livro, tido por muitos como a primeira obra da História Geral do Brasil, está disponível na íntegra no acervo da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin e é uma oportunidade para ver a leitura dos historiadores oitocentistas sobre a história nacional com a narrativa que tratava o português como o responsável pelo progresso e pela civilização deste território.Clique Aqui

 

Em outras videoaulas do Canal USP, o professor João Paulo Garrido Pimenta aborda o período após a chegada dos europeus em solo brasileiro, a partir do teor crítico diferente dos oitocentistas, como Southey. Também dividido em três partes, as aulas se aprofundam na presença portuguesa e no aspecto arbitrário da dominação cultural e territorial sobre a população nativa. 

 

Veja o material completo aqui

 

Por 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS