PREVENÇÃO: Amputações de pênis crescem 1604% e batem recorde no Brasil

Falta de higiene e cuidados resulta em câncer e homens devem prestar atenção

PREVENÇÃO: Amputações de pênis crescem 1604% e batem recorde no Brasil

Foto: Divulgação

A saúde íntima costuma ser tabu entre os homens. O resultado disso é preocupante e encorpa um dado alarmante no Brasil, por exemplo, a amputação de pênis bateu recorde no país. Nos últimos 14 anos, o índice de amputação de pênis aumentou 1604%. E isso está completamente ligado à higiene pessoal.

 

A razão principal para as amputações de pênis no Brasil é o câncer. Na maioria das vezes, a doença é causada por falta ou completa ausência de higiene no local. Para Paulo Egydio, especialista em urologia e doença de Peyronie, este alto número tem a ver com o tabu que existe entre masculinidade e saúde do homem.

 

“Os assuntos urológicos ainda são um tabu para os homens aqui no Brasil. Quando percebem a presença de algo anormal na região peniana, acabam decidindo tomar a decisão de fazer um auto tratamento sem consultar um especialista da área. Por isso é sempre importante entender que, qualquer lesão que não cicatrize, pode ser câncer de pênis. Se a lesão leva mais de um mês para se curar, é importante fazer uma biópsia para um diagnóstico precoce”

 

Pênis amputado

 

O DataSUS registrou 1.791 casos desse tipo de câncer em 2021 entre os brasileiros. Nos últimos 14 anos, a região Sudeste foi líder no número de procedimentos de amputação de pênis.

 

Em média, 515 brasileiros perdem o órgão genital no Brasil, a cada ano. Segundo a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), são realizadas 6.582 cirurgias para a amputação do pênis. Por região, elas são separadas por:

 

Sudeste: 2.872

Nordeste: 2.104

Sul: 1.134

Centro-Oeste: 472

 

Segundo Egydio, é compreensível que o Sudeste tenha mais casos por ser a região mais populosa do país. “Na região Nordeste, o cenário muda. As altas temperaturas nesta região podem favorecer a proliferação de fungos e bactérias, por isso na região nordeste, a higienização da região íntima deve ser ainda mais intensa”, afirma. 

 

Causas e prevenção

 

A amputação do pênis é um recurso utilizado em casos avançados de câncer neste órgão. Os médicos optam por este procedimento apenas quando as demais alternativas já não são mais eficazes.

 

Ainda de acordo com números oficiais, apesar de preocupantes, os números de novos casos de câncer de pênis estão diminuindo.

 

Enquanto em 2019 foram registrados 2.197, em 2020 esse número caiu para 2.095. Atualmente está menor que 2.000 casos.

 

Mas também vale ressaltar que a pandemia da covid-19 teve influência tanto nos diagnósticos quanto nos atendimentos médicos para este tipo de tumor.

 

Inclusive, para a SBU, a baixa nos casos é, na verdade, um reflexo da diminuição do número de homens que procuraram hospitais e especialistas durante a pandemia.

 

Para prevenir o câncer de pênis, é importante aprender a fazer uma boa higienização. Para aqueles que não são circuncidados, o paciente deve expor a glande toda vez que for realizar a higienização do membro. 

 

Essa limpeza não deve ser feita “apenas” uma vez por dia, é crucial que após as relações sexuais e qualquer masturbação, tome-se as mesmas medidas de higiene. 

 

A doença de Peyronie é uma outra patologia que devemos tomar conhecimento para prevenir o seu desenvolvimento. O Peyronie é o desdobramento de fibroses na túnica do pênis que pode favorecer uma curvatura, diminuição de tamanho, afinamento e até o surgimento da disfunção erétil.

 

A sua prevenção pode ser tomada a partir do bom controle do movimento de vai e vem para minimizar o risco de impactos abruptos no pênis em máxima ereção. 

 

Atividade física regular, evitar consumo de álcool, tabaco e drogas, alimentar-se de forma regrada e saudável são as chaves para prevenção da Disfunção Erétil.

 

Câncer de pênis

 

Um dos fatores que dificulta a higienização do órgão é a fimose. Trata-se de uma doença congênita, que evita ou dificulta a glande e dificulta a higienização.

 

Além da falta de boa higiene, outros aspectos também podem contribuir para aumentar o risco do câncer de pênis.

 

Tais como:

 

- Fimose (onde a pele que cobre o pênis impede a exposição da glande)

- Excesso de prepúcio

- Contaminação pelo HPV

- Tabagismo

 

Como prevenir câncer e a amputação

 

Higiene é primordial. Lavar bem, usando água e sabão e com uma frequência adequada é suficiente. Resquícios de urina que ficam embaixo da pele do pênis, por exemplo, podem causar fibrose.

 

Além da lavagem para remover esses resquícios, também é indispensável manter a região sempre seca. Essa medida evita o crescimento de fungos no pênis.

 

Como identificar

 

Os sinais que podem indicar esta doença são uma ferida ou úlcera persistente, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

 

Ida periódica ao urologista

 

Contudo, não é só a falta de higiene que pode causar câncer. Entre outros pontos, fatores genéticos e falta de exames de rotina podem ser um mau que deve ser combatido.

 

Visitar o urologista com frequência e realizar exames e cuidados, são essenciais para mudar este cenário.

Direito ao esquecimento

Você assiste programa eleitoral na televisão?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS