APÓS 100 ANOS: Leite Moça troca camponesa da embalagem e gera polêmica na web

A tradicional imagem foi substituída por ilustrações de mulheres comuns

APÓS 100 ANOS: Leite Moça troca camponesa da embalagem e gera polêmica na web

Foto: Divulgação

 

Em celebração pelos 100 anos do Leite Moça no Brasil, a Nestlé vai retirar provisoriamente de suas embalagens a tradicional imagem de uma camponesa carregando dois baldes. Pela primeira vez na história da marca, serão colocadas ilustrações de “mulheres reais”, que, segundo a empresa alimentícia, simbolizam as brasileiras que usam o produto no cotidiano. A chegada da edição comemorativa às redes sociais, no entanto, provocou polêmica nesta sexta-feira (18).
 
No Twitter, de tão comentado, o assunto “Leite Moça” alcançou o topo dos Trending Topics brasileiro. O debate teve início quando parte dos internautas passou a criticar uma das embalagens divulgadas nas redes sociais da Nestlé, na qual a ilustração de mulheres comuns estampa a latinha de leite condensado.
 
“O Leite Moça está fazendo 100 anos e resolveu apagar do rótulo a moça que dá nome ao produto pelo ‘empoderamento de mulheres reais’. Ficou igual imagem de cigarro mostrando como você fica ao usar o produto” criticou um usuário.
 
Em outro tuíte, um rapaz chegou a propor uma ação de boicote à marca. “Qual lata você prefere? A do Leite Moça tradicional, com a camponesa, ou essa nova versão, com a gordinha? Na dúvida, compre de outra marca”, disse. Depois de respostas contrárias ao seu posicionamento, o dono da conta chegou a chamar de “boiolas” os profissionais de marketing da Nestlé: “Agora apareceu um monte de quadrilha e mulher do cabelo roxo me atacando por causa do post. Foram acionados pelos boiolas do marketing da Nestlé”.
 
Enquanto algumas pessoas concordaram com os comentários negativos sobre as mudanças no rótulo, outras acusaram os comentários de serem preconceituosos. “Trocar a identidade visual de uma marca é sim perigoso, mas vocês não estão falando isso preocupados com o lucro da empresa e sim porque se incomodam com corpos normais e mulheres normais”, destacou uma mulher em seu Twitter.
 
Para além do Leite Moça
 
Deslocando o foco da discussão, um tuíte chamou atenção para o funcionamento das indústrias Nestlé. “Nem sabia que a Nestlé trocou a embalagem do Leite Moça, porque pelo preço, já nem olho.. agora vocês sabiam sobre todo processo de industrialização e capitalização da água promovido pela Nestlé?”, publicou a usuária. Na sequência, acrescentou: “Dá pra defender a ideia do rótulo da embalagem, sem defender a empresa?!”
 
 
Além da produção alimentícia, a Nestlé também tem uma história marcada por problemas judiciais ligados à exploração de água mineral em várias partes do mundo. No Brasil, em 2001, o Ministério Público do estado de Minas Gerais moveu uma ação contra a empresa, após os moradores de Parque das Águas, em São Lourenço, cidade do sul mineiro, alegarem que o engarrafamento da água por parte da multinacional estaria comprometendo a qualidade do líquido e a vazão nas fontes. 
 
Em 2006, após as articulações de moradores da cidade entrarem em contato com ONGs suíças, onde inúmeras organizações apoiaram a campanha, a Nestlé teve de parar a produção de água engarrafada “Pure Life” em São Lourenço. Contudo, devido ao número de polêmicas em torno da falta de conhecimento sobre a quantidade de água envasada no Brasil, a multinacional declarou, em 2018, a venda das fábricas de água mineral em todo o território nacional.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS