TRÁGICO: Policial Rodoviário Federal é morto pela namorada com tiro acidental na cabeça

Vítima teria dito que havia removido as munições e pedido para que a companheira apertasse o gatilho

TRÁGICO: Policial Rodoviário Federal é morto pela namorada com tiro acidental na cabeça

Foto: Divulgação

 

Um disparo supostamente acidental tirou a vida do Policial Rodoviário Federal (PRF), Igor de Aquino, de 41 anos, na madrugada da última terça-feira (4), no Centro de Anápolis. Segundo ocorrência da Polícia Militar, a namorada do agente admitiu o ato e alegou que o tiro foi um acidente. A mulher, de 29 anos, não foi identificada.
 
De acordo com a PM, a equipe foi acionada por volta de 21h40 até o apartamento da vítima, localizado num condomínio na Rua Floriano Peixoto, no Centro da cidade. No corretor do apartamento, encontraram a namorada de Igor.
 
O corpo de vítima estava caído no chão da sala, com um ferimento na testa causado pelo tiro. Aos policiais, a mulher explicou que os dois tinham o costume de fazer brincadeiras com a pistola. A arma utilizada tinha a marca da PRF e estava jogada em um sofá.
 
 
Nesta última brincadeira, Igor teria dito para a namorada que havia removido as munições e pedido para que ela apertasse o gatilho. A mulher efetuou o disparo e assim que percebeu começou a gritar e chorar.
 
Vizinhos relataram à polícia que se assustaram com o som do disparo e confirmaram não houve briga, apenas que ouviram a mulher chorar. A namorada ainda informou que tentou socorrer Igor, mas que ele já não apresentava sinais de vida, restando a ela apenas aguardar as viaturas chegarem.
 
A mulher foi encaminhada a Central de Flagrantes onde caso foi registrado como homicídio simples. Inquérito da Polícia Civil terá início na tarde de hoje. O corpo deverá passar por uma perícia, assim como o local do crime. Vizinhos e a namorada de Igor deverão ser ouvidos de maneira formal pelos investigadores.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS