NA WEB: Deputada bolsonarista faz vídeo de dancinha do tiktok na Câmara dos Deputados

No vídeo original, Alê Silva postou a descrição: “Depois de 12 horas de sessão no plenário e 'nós tá' como?".

 

A deputada federal Alê Silva (PSL-MG) causou polêmica nas redes sociais ao postar um vídeo gravado no salão verde da Câmara dos Deputados fazendo uma dancinha popular na plataforma Tik Tok.
 
Na publicação, ela aparece ao lado de dois funcionários dançando a música "Carpinteiro", que vem fazendo sucesso no aplicativo.
 
 
O vídeo foi postado pela parlamentar no último final de semana, mas só ganhou repercussão depois que a também deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) o divulgou nas redes sociais na terça-feira (4/5).
 
 
“A deputada bolsonarista, Alê Silva, não tem mesmo o que fazer na Câmara?! O Brasil com mais de 400 mil mortes e essa criatura usa as dependências da Câmara p/ fazer dancinha?!!”, postou Perpétua.
 
No vídeo original, Alê Silva postou a descrição: “Depois de 12 horas de sessão no plenário e 'nós tá' como?".
 
A repercussão foi negativa. Muitos internautas não viram graça no comportamento da parlamentar, especialmente pelo momento que o país atravessa, com centenas de milhares de mortes pela COVID-19.
 
 "Qual o propósito disso, deputada Alê Silva??", questionou Leandra Souto. "Nossa e nem pra ter graça a dança. Isso aí no Tik Tok não pega nem 10 mil views", afirmou Jeniffer Prioli. "Tik Tok de péssimo nível pago com dinheiro público", postou Pedro Ronchi.
 
A publicação foi apagada pela deputada, que é apoiadora do presidente Jair Bolsonaro. Depois, ela justificou o ato.
 
"O vídeo com uma dancinha minha foi feito para uma seguidora que sofre de depressão profunda, que está passando por um momento crítico. Gravei para fazê-la feliz, como de fato a fiz, por alguns instantes", alegou.
 
 
DEPUTADA COMENTA O CASO
 
Em nota, deputada federal Alê Silva (PSL-MG) infomrou que: 
 
"O vídeo com uma dancinha minha foi feito para uma seguidora que sofre de depressão profunda, que está passando por um momento crítico. Gravei para fazê-la feliz, como de fato a fiz, por alguns instantes. Foi gravado após horas e horas de sessão, quando estávamos apenas eu e mais dois assessores no local, cujo local é público e já foi palco de uma série de manifestações.
 
"Esse vídeo, que foi direcionado a uma pessoa específica, vazou. O que eu não consigo entender que, como muitos disseram, num momento que o Brasil está vivendo, num dia trágico como hoje, que um vídeo de 15 srgundos que foi gravado há dias,  fosse incomodar tanto, a ponto da impressa se referir a ele em rede nacional. Valeu à pena? Valeu! A minha seguidora ficou feliz, por algumas hora se sentiu feliz, esqueceu a sua dor". 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS