INVESTIGAÇÃO: Dentista é acusada de deformar pacientes com harmonizações faciais

"A fraude está em dizer que inseria uma substância quando na verdade, inseria outra"

INVESTIGAÇÃO: Dentista é acusada de deformar pacientes com harmonizações faciais

Foto: Divulgação

 

Uma dentista em Campos dos Goytacazes (RJ) está sendo investigada pela Polícia Civil por deformar pacientes durante procedimentos de harmonização facial. Conforme as autoridades, até agora, 21 pessoas já registraram boletim de ocorrência contra a profissional. As informações são do G1 e do Uol.
 
De acordo com as investigações, a dentista oferecia harmonização facial com ácido hialurônico, que é uma substância temporária e absorvida pelo corpo humano. No entanto, no procedimento a mulher usava, na verdade, PMMA que é uma substância permanente, não absorvível e mais barata.
 
“Ela induzia as vítimas ao erro, não alertava ao risco da substância nem esclarecia que a substância não era expelida pelo corpo. Muitas vítimas acreditaram que haviam injetado ácido hialurônico na face, mas estavam efetivamente com PMMA. Quando solicitamos os prontuários médicos de determinadas pacientes, vimos que o PMMA usado é liberado pela Anvisa, mas a fraude está em dizer que inseria uma substância quando na verdade, inseria outra”, explicou a delegada, Nathalia Patrão ao Uol.
 
 
A dentista foi indiciada por lesão corporal gravíssima, exercício ilegal da arte dentária e estelionato. A Justiça acatou um pedido da polícia e proibiu a mulher de se ausentar da cidade por mais de sete dias e de se ausentar do país. Ela também teve as redes sociais suspensas, contas bancárias bloqueadas e está proibida de exercer a odontologia e também procedimentos estéticos.
 
Ao G1, a defesa da profissional alega que não houve irregularidade. “Todos os materiais por ela utilizados, e isso é sem dúvida, são autorizados pela Anvisa. Ela tem plena convicção da correção de seus atos, até porque o cirurgião dentista tem autorização para trabalhar nesse segmento”, afirmou o advogado da dentista, Eduardo Ferraz.
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS