BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

TRAGÉDIA: Escrivã da Polícia Civil morre eletrocutada ao atender o telefone celular

Néria Regina Padilha, de 42 anos, estava no banho quando o aparelho, que estava carregando, tocou e ela tocou numa extensão que estava desencapada

REPÓRTER MT

17 de Julho de 2020 às 09:20

Foto: Divulgação

REPÓRTER MT - O corpo da escrivã da Polícia Civil de Mato Grosso, Néria Regina Padilha, de 42 anos, foi encontrado na noite desta quinta-feira (16), dentro de sua casa, em Cuiabá. De acordo com as informações, Néria foi eletrocutada ao atender o telefone celular. Ela estaria tomando banho quando o telefone, que estava carregando, tocou. A escrivã foi atender e acabou tocando em um fio, que estava desencapado, momento que sofreu a descarga elétrica.
 
A polícia foi acionada por uma vizinha, que estranhou o fato de não ver a policial e nem conseguir falar com ela. Na casa, a polícia encontrou Néria caída, com um fio de extensão, onde o celular carregava, todo derretido e encostado na perna dela. De acordo com a polícia, Néria já estaria morta há algum tempo.
 
Néria estava lotada na Delegacia de Trânsito (Deletran), mas trabalhou por muitos anos na Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) com o delegado Luciano Inácio, também trabalhou na Delegacia de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP) e foi da Força Nacional.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS